Ídolo do México se defende de acusação de homicídio e critica governador

Do UOL, em São Paulo

Ao longo de 24 anos, entre 1992 e 2016, Cuauhtémoc Blanco foi destaque nas páginas dos jornais mexicanos por suas atuações de destaque no futebol local. Hoje, porém, o ex-atacante de clubes como América e Veracruz é destaque na imprensa por outro motivo: uma acusação de homicídio.

Blanco, que é prefeito da cidade de Cuernavaca desde janeiro de 2016, recebeu na última semana um mandado de apreensão por parte de um juiz do estado de Morelos. O ex-jogador seria o mandante do assassinato de Juan Manuel García, organizador da Feira da Primavera no estado.

O pedido de prisão foi bastante criticado pelo advogado de Blanco, José de Jesús Guízar. "O juiz, sem nenhum antecedente de prova, libera as ordens de apreensão em uma situação que resulta como parte de uma série de abominações jurídicas", disse Guízar, segundo o jornal mexicano Record.

Em comunicado na quinta-feira, Blanco já se manifestou a respeito. Nas redes sociais, chamou de "infundadas e absurdas" as acusações. "Nego categoricamente qualquer imputação que se realiza contra mim a respeito do que aconteceu no último dia 6 de abril", disse, referindo-se à data do crime. Segundo ele, as acusações teriam motivação política de adversários.

Nesta terça-feira, em vídeo, o ex-jogador reforçou as acusações. Eleito pelo Partido Socialdemócrata (PSD), Blanco direcionou suas críticas ao governador de Morelos, Graco Ramírez, eleito pelo Partido de la Revolución Democrática (PRD).

"Estou bastante indignado com todas as acusações do governador e de seu filho. É tanta sua determinação em querer me destruir, não sei o porquê, que já me envolveram em homicídio e como criminoso. Isso é muito forte", diz Blanco no vídeo.

"Eu não sei até onde o governador e seu filho vão chegar. E vão seguir me desgastando até poderem me destruir. Mas, como sempre, vou seguir me defendendo. Vou seguir lutando contra essas injustiças. Porque vocês me puseram neste lugar. Vou seguir firme. Não me escondo de ninguém; estou aqui dando a cara, não estou fugindo da Justiça. Vou seguir me defendendo porque creio que isso é uma aberração contra a minha pessoa", acrescentou.

Nas redes sociais, Graco Ramírez não se manifestou a respeito até a tarde desta terça-feira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos