Palmeiras vê entrevero entre preparador e jogador como normal e abafa caso

Danilo Lavieri e José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/TV Globo

    Reprodução do bate-boca entre Omar Feitosa e Thiago Santos, que chamou a atenção

    Reprodução do bate-boca entre Omar Feitosa e Thiago Santos, que chamou a atenção

Fora o 3 a 0 contra a Ponte Preta, o Palmeiras retornou de Campinas com outra imagem negativa. A discussão entre o preparador físico Omar Feitosa e o meio-campista Thiago Santos, durante a derrota no Moisés Lucarelli, despertou a atenção de quem acompanhou o confronto. Internamente, porém, o assunto foi tratado com normalidade.

De acordo com apuração do UOL Esporte, o membro da comissão técnica e o camisa 21 encerraram qualquer resquício de desentendimento ainda em Campinas, depois da derrota no primeiro duelo da semifinal. Nenhuma das duas partes se pronunciará pelo menos até quarta-feira, data da reapresentação do elenco na Academia de Futebol.

O Palmeiras preferiu abafar o caso neste início de semana. O clube descartou qualquer manifestação dos dois profissionais até o retorno das atividades para o duelo da volta contra a Ponte Preta, agendado para sábado, às 19h (de Brasília), no Allianz Parque.

O diálogo acalorado entre Omar Feitosa e Thiago Santos ganhou proporção por um ato específico do preparador físico, que empurrou o volante palmeirense em meio às reclamações do jogador com a arbitragem.

O membro da comissão técnica tentou conter a ira de Thiago Santos, que, segundos antes, se estranhara com William Pottker na beira do gramado. Omar procurou evitar a punição do atleta por parte do trio de árbitros, mas usou o empurrão como artifício. A atitude foi em vão, já que o camisa 21 recebeu o cartão amarelo após a discussão com o próprio preparador.

A discussão veemente entre Omar Feitosa e Thiago Santos recebeu o tratamento de um caso 'pontual'. O preparador físico é reconhecido como uma pessoa de gênio forte e envolveu-se em outras discussões, inclusive nesta edição do Campeonato Paulista.

Durante o clássico entre Palmeiras e Corinthians, Omar Feitosa foi acusado por membros da comissão técnica corintiana de ofender atletas após a confusão criada pelo árbitro Thiago Durarte Peixoto na expulsão equivocada do volante Gabriel, ex-atleta palmeirense e agora no time alvinegro.

Relatos de pessoas presentes no túnel de acesso ao gramado da Arena Corinthians apontaram, na época, uma forte discussão de Omar Feitosa com atletas e dirigentes da equipe alvinegra. Naquela noite, o preparador físico palmeirense deixou o estádio em Itaquera sem conversar com a imprensa.

Bate-boca entre jogadores e comissão técnica do Palmeiras na derrota contra a Ponte

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos