R. Caio leva puxão de orelha de parte do elenco no vestiário após fair play

José Eduardo Martins e Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

Rodrigo Caio foi o centro das atenções depois do clássico com o Corinthians, no último domingo, no Morumbi. Nem todo o elenco são-paulino aprovou a postura do zagueiro, que avisou o árbitro de que tinha acertado o goleiro Renan Ribeiro e, desta maneira, evitou o cartão amarelo para o atacante Jô.

Segundo apurou o UOL Esporte, colegas de time questionaram o "fair play" do zagueiro ainda no vestiário. Já um integrante da comissão técnica destacou o fato de o corintiano ter de cumprir suspensão no segundo e decisivo jogo do mata-mata caso tivesse sido advertido. Houve dentro do time, também, quem concordasse com a nobre postura do zagueiro.

Há de se destacar que nenhuma cobrança foi acintosa ao jogador, mesmo com os atletas de cabeça quente após a derrota por 2 a 0, em casa. Para evitar mais polêmica, o São Paulo preferiu não ressaltar a atitude do zagueiro. O próprio Rodrigo Caio também evitou falar muito sobre o tema e entrar em qualquer discussão e chegou a recusar convite para participar de programa na TV Globo para falar do assunto.

Na roda com o elenco após a derrota por 2 a 0, o técnico Rogério Ceni abordou com os jogadores apenas o desempenho do time e passou reto pelo tema Rodrigo Caio. O treinador criticou e considerou inadmissível a maneira como o time atuou no primeiro tempo do clássico. Na sequência, fez elogio à recuperação na etapa final e pediu para que todos virassem a chave para a segunda e decisiva partida do mata-mata da Copa do Brasil, com o Cruzeiro, nesta quarta-feira.

Na entrevista coletiva, quando foi questionado sobre a atitude do pupilo, Rogério foi seco e não se estendeu. "O que o Rodrigo Caio falar está bem falado. Eu não sei direito o que aconteceu. Vi o Jô pressionando, mas acho que o Rodrigo pressionou o Renan. Foi um gentleman, vocês têm de parabenizar, uma grande atitude, é um menino bom", disse o treinador. 

Maicon ironiza e Jô elogia Rodrigo Caio

No dia seguinte ao clássico, já ficou claro que nem todo mundo deu nota 10 para a postura do são-paulino. O zagueiro Maicon, por exemplo, mostrou ironia na hora de comentar o caso. "É melhor a mãe dele (rival corintiano) chorando do que a minha em casa. A gente deveria respeitar a atitude do Rodrigo, foi o que ele quis fazer na hora. Se foi certo ou não, temos de apoiar. É um jogador que faz parte do grupo, de confiança. Não posso dizer o que eu faria porque não aconteceu comigo", disse Maicon.

Já no Corinthians, Jô deu os parabéns para o são-paulino. A gente precisa ser o mais sincero e honesto no grupo possível. Eu sairia em defesa, ia elogiar meu companheiro (se fosse no Corinthians). Essa atitude nos dá uma responsabilidade muito grande na próxima vez que acontecer. Se acontecer com a gente tem que fazer igual. Tem de ser um ser humano honesto e ganhar a vida com dignidade. Aqui no grupo todo mundo entende assim", afirmou Jô.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos