Presidente da FPF nega árbitros de fora e ataca direções de Coxa e Atlético

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL, em São Paulo

  • Cleber Yamaguchi/AGIF

    Dupla Atletiba segue em pé de guerra com Federação

    Dupla Atletiba segue em pé de guerra com Federação

O Coritiba não foi atendido pela Federação Paranaense de Futebol (FPF) em seu pedido por árbitros de fora nas semi e finais do Paranaense 2017. Ao justificar a recusa, o presidente da FPF, Hélio Cury, criticou duramente a direção do Coxa pela atitude. "O Coritiba não merece nem resposta. Não tem postura diretiva. Não tem quem assumir mandaram o diretor de futebol profissional assinar, um funcionário", disse Cury, citando que o ofício da solicitação foi assinado por Alex Brasil, gerente de futebol coxa-branca.

Cury repudiou a insinuação de que a FPF teria interesse em que não acontecesse uma final entre Coritiba e Atlético e, apesar de o Furacão não ter se manifestado quanto ao tema de maneira oficial, aproveitou para criticar também o rubro-negro. "Queriam que eu pedisse para o Ivens Mendes mandar árbitros", disparou Cury, citando o falecido diretor de árbitros da CBF envolvido em um escândalo de arbitragem nos anos 90, que citou, entre outros, o dirigente atleticano Mario Celso Petraglia em uma conversa telefônica em que pedia dinheiro por suposto favorecimento na arbitragem.

O UOL Esporte procurou Ernesto Pedroso, ex-vice-presidente de futebol do Coxa e braço-direito do presidente Rogério Bacellar para falar sobre a recusa. "Por que os árbitros fizeram aquilo de não autorizar o Atletiba? Foi coisa do Cury", disse Pedroso. Para ele, a crítica pública foi merecida para o presidente da FPF. "Nada mais do que ele merecia ouvir. Não pus em dúvida a integridade moral ou técnica de nenhum árbitro. E sim que temos receio de uma intervenção por que tem interesses, espelhados na atitude que vimos naquele Atletiba".

"É uma piada de mal gosto", rebateu Cury, "Tenho toda uma estrutura de arbitragem aqui e eu vou pedir arbitro de fora. Isso é desprestigiar nossa arbitragem e a associação, que tem formado 40, 50 árbitros por ano. Na hora do mignon ficariam de fora? Por que não pediram no início, só agora no agora no final?" Na insistência do tema sobre o que aconteceu no Atletiba cancelado em 19 de fevereiro, Cury afirmou: "Isso aí já é matéria vencida. Vou dar um exemplo: em 2015 a eleição (da FPF) foi em abril. Operário e Coritiba votaram contra mim e chegaram na final. Se tivesse alguma coisa passavam Londrina e Foz."

Leonardo Sígari Zanon apita Coritiba x Cianorte (0x1 na ida) e Rafael Traci, o quarto árbitro do Atletiba do YouTube, apita Londrina x Atlético (1x2), os dois jogos no domingo, 16h.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos