Catimba e provocação: por que Maicon é o oposto de Rodrigo Caio no SP

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • Marcello Zambrana/AGIF

    Maicon em ação contra o Corinthians

    Maicon em ação contra o Corinthians

A última semana serviu para colocar em evidência o perfil diferente dos dois zagueiros titulares do São Paulo. Na primeira partida da semifinal do Campeonato Paulista contra o Corinthians, Rodrigo Caio avisou o árbitro de que havia encostado no goleiro Renan Ribeiro e evitou que o adversário Jô recebesse o cartão amarelo. O fair play não foi bem interpretado por todos os companheiros. Maicon, por exemplo, deixou claro não teria a mesma atitude e até ironizou ao dizer que preferia ver "a mãe do rival chorar do que a dele".

Mas, na verdade, essa não foi a primeira vez que os dois mostraram ter características e personalidades bem distantes dentro de campo. Maicon ficou conhecido como o jogador de raça no São Paulo. A postura aguerrida do defensor ajudou a conquistar a torcida tricolor.

O beque, 28 anos, até mesmo de goleiro jogou para ajudar o time durante a partida da Copa Libertadores de 2016 contra o The Strongest, da Bolívia, após Denis ser expulso. Naquele dia, porém, o jogador também não poupou na catimba ao cair no chão quando defendeu uma bola e também aproveitou para tirar uma casquinha do time rival, apelidado por ele de estrogonofe.

Aliás, essa não foi a única vez que Maicon fez catimba para ganhar tempo durante um jogo. Na vitória por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, na última quarta-feira, por exemplo, ele reclamou de dores e parou o jogo quando o adversário atacava. Já Rodrigo Caio, por sua vez, dificilmente é lembrado por tentar retardar a partida.

Com a bola nos pés, Rodrigo Caio também é aguerrido, porém mais conhecido como um jogador de toque de bola e estilo refinado. A postura, em algumas ocasiões, já foi motivo de críticas dentro do clube. O caso mais famoso foi quando Rodrigo Gaspar, então assessor do presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o chamou de "jogador de condomínio".

As provocações também fazem parte do repertório de Maicon. Neste ano, por exemplo, ele teria imitado uma galinha para comemorar um gol contra o Corinthians, no empate por 1 a 1, na primeira fase do Paulista. O jogador negou que a comemoração foi para tirar sarro do rival. Já Rodrigo Caio dificilmente fala dos adversários e tenta evitar polêmicas.

Em relação à postura disciplinar, os dois também apresentam diferenças. Em 66 partidas pelo São Paulo, Maicon já recebeu dois cartões vermelhos diretos. A primeira expulsão aconteceu na semifinal da Copa Libertadores de 2016, quando deu um tapa na cabeça de Borja, que defendia o Atlético Nacional. Já neste ano, na Florida Cup, contra o Corinthians, ele foi advertido por discutir com Kazim.

Rodrigo Caio nunca recebeu um cartão vermelho direto com a camisa do São Paulo. Em 202 confrontos pelo Tricolor, o zagueiro foi quatro vezes para o chuveiro mais cedo, mas por receber o segundo cartão amarelo. Além disso, tal fato não acontece desde a derrota para o CRB, por 2 a 1, no dia 23 de abril de 2014, pela Copa do Brasil.

Parecidos ou não, os dois devem formar a dupla de zaga do São Paulo mais uma vez neste domingo no segundo e decisivo jogo do mata-mata com o Corinthians. A partida será neste domingo, às 16h, na casa do arquirrival.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos