Defesa de Bruno vai recorrer ao Plenário e adia volta à prisão para quarta

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

O advogado Lúcio Adolfo da Silva, que defende Bruno, disse que quer conversa com o cliente antes da apresentação do atleta à Justiça. Ele afirmou que falará com o goleiro na manhã desta quarta-feira (26) e na sequência os dois seguirão até a delegacia de Varginha, cidade onde o atleta mora por jogar no Boa Esporte.

"Não vou deixar prender o meu cliente. Vou apresentar o Bruno na delegacia amanhã de manhã (quarta). De lá, ele deve ser levado para a vara de Execuções penais".

Entre os assuntos que serão tratados está qual unidade prisional a defesa vai pedir para que Bruno seja encaminhado. Antes de ser liberado pelo STF (Supremo Tribunal Federal), Bruno cumpria pena na Apac de Santa Luzia, uma cadeia que fica na região metropolitana de Belo Horizonte.

O goleiro estava em liberdade por causa de uma liminar, decisão individual, concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello, mas ela foi derrubada hoje pela 1ª turma. O julgamento terminou com três ministros votando pelo retorno à prisão, um contra e uma abstenção.

O advogado adiantou que vai recorrer e tentará levar o caso para o plenário do STF, onde os 11 ministros votariam. Vai argumentar que é uma afronta à constituição manter uma pessoa presa com julgamento apenas em primeira instância e esperando há quatro anos para ter a apelação julgada. Ele vai pedir o desmembramento do processo, ou seja, que o caso de Bruno seja julgado separado dos outros réus.

Lúcio Adolfo também entrar com embargos declaratórios sobre o voto dado por dois ministros nesta terça. O recurso não muda o resultado do julgamento, apenas pede esclarecimentos sobre os argumentos. Mas a intenção do defensor é outra.

"Quero poder falar aos ministros o que penso", declarou o advogado que estava irritado com a corte.

Defesa avalia pedir semiaberto

Ele contou que a estratégia de defesa não está definida e será estudada nos próximos dias. Mas o advogado adiantou que avalia entrar com o pedido de progressão de regime para o cliente ter direito ao regime semiaberto.

Lúcio Adolfo disse que vai pedir à Vara de Execuções Penais em quanto tempo Bruno teria o direito ao benefício. Ele também solicitará ao sistema prisional de Minas Gerais quantos dias serão descontados da pena por causa do tempo em que o goleiro trabalhou na cadeia.


 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos