Diretor do Boa diz que não sabia que Bruno seria julgado pelo STF

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

A notícia de que o goleiro Bruno vai voltar para cadeia por decisão do Supremo Tribunal Federal surpreendeu o Boa Esporte. O diretor de Futebol, Rildo Moraes, disse que "nem sabia que Bruno ia ser julgado".

Na tarde desta terça-feira (25), os ministros determinaram o retorno imediato do jogador de futebol à prisão. O diretor de futebol do Boa falou que não há qualquer decisão sobre as medidas a serem tomadas a partir de agora. O presidente do time, Rone Moraes, estava no velório da sogra.

A assessoria de imprensa do clube mineiro confirmou que nenhuma reunião foi feita para discutir o que fazer em caso do jogador perder a liberdade. Acrescentou que não adianta especular no momento porque não há nada decidido e que os diretores vão se reunir para decidir o que fazer.

Não há definição se Bruno permanecerá como funcionário do clube enquanto estiver preso. Também não está certo se o goleiro ficará treinando até o dia que for determinada a volta para a prisão. O contrato do jogador com o clube tem uma cláusula prevendo rescisão em caso de retorno à cadeia. 

Bruno foi condenado a 22 anos e três meses de prisão em março de 2013, por homicídio triplamente qualificado e outros crimes. Ele foi solto em 24 de fevereiro, após decisão liminar de habeas corpus do ministro do STF Marco Aurélio Mello.

Este tipo de decisão é preliminar e depois o caso é avaliado por uma turma, composta por cinco ministros. No caso, foi a 1ª Turma do STF e placar foi 3 a 1 pelo retorno à prisão. O ministro Luís Roberto barroso não compareceu. 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos