Auxiliar inglês de Ceni compara Morumbi a Anfield e ironiza colega francês

Do UOL, em São Paulo

  • Érico Leonan/saopaulofc.net

    Beale, à esquerda, ao lado de Rogério Ceni

    Beale, à esquerda, ao lado de Rogério Ceni

Acostumado a trabalhar nas principais arenas da Inglaterra e da Europa, Michael Beale tenta se adaptar aos estádios do Brasil. Auxiliar técnico de Rogério Ceni no São Paulo desde o início desta temporada, o inglês fez questão de destacar as qualidades do Morumbi e do Allianz Parque, casa do arquirrival Palmeiras.

"Há uma grande disparidade entre os novos e os antigos estádios do Brasil. Vários jogadores e treinadores ingleses iriam torcer o nariz para alguns vestiários que vi. Mas há o Allianz Parque, do Palmeiras, que é maravilhoso. Nosso estádio, o Morumbi, nos dá uma sensação única. Quando está lotado, passa a ser uma daquelas coisas que você deseja que todos os treinadores e jogadores possam experimentar. É um pouco como eu me senti quando tive a sorte de trabalhar em Anfield - que tinha um sentimento especial", disse Beale em entrevista ao "The Guardian".

"Os torcedores são extremamente apaixonados. A maneira como eles nos saúdam no Morumbi quando chegamos. Milhares esperam por nós no aeroporto, em seguida, eles nos seguem para o hotel e ficam lá fora cantando. Isso simplesmente não acontece na Inglaterra", completou Beale, de 36 anos.

Uma dificuldade do inglês em sua adaptação ao Brasil é o idioma. Neste sentido, ele conta com a ajuda também do supervisor francês do clube, Charles Hembert, que é fluente no português.

"Eu lamento por Charles. Ele tenta tocar a sua própria vida, mas agora está profundamente envolvido na minha", brincou Beale. "Claramente, eu tenho alguma dificuldade com a língua. Mas o vocabulário do futebol é muito mais fácil. Existem várias maneiras de você se comunicar com os jogadores. Você pode demonstrar e se mexer", disse o inglês, que trabalhava no Liverpool.

Para Beale, um ponto alto nesta sua passagem pelo país foi a vitória no clássico com o Santos, por 3 a 1, na Vila Belmiro. Na ocasião, o São Paulo acabou com um tabu de sete anos sem ganhar do arquirrival em sua casa.

"Só na Florida Cup jogamos contra o River Plate e dois dias depois, com o Corinthians. Para um inglês esses jogos são especiais. Ir para Santos foi brilhante. Conquistamos nossa primeira vitória lá em sete anos, foi incrível", destacou Beale, que fez questão também de elogiar Rogério Ceni e o CT de Cotia.

"As duas coisas que me convenceram [a deixar o Liverpool, da Inglaterra] foram visitar as instalações do São Paulo e falar com Rogério Ceni. Antes de vir, tentei explicar aos meus amigos e ao meu chefe no Liverpool o tamanho do Rogério neste clube. Ele é como Ryan Giggs ou Steven Gerrard voltando para casa. Ceni estava me fazendo um grande elogio. Quando eu visitei o CT de Cotia fiquei animado. As instalações são excelentes e o CT tem sido muito bom para São Paulo. Se você olhar para a equipe agora, 13 ou 14 jogadores vieram de lá. Na Inglaterra você tem instalações fantásticas, mas Cotia está acima de tudo o que eu vi na Europa", afirmou o inglês.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos