Justiça expede mandado e goleiro Bruno volta à prisão

Vanderlei Lima e Fernando Notari

Do UOL, em São Paulo

O goleiro Bruno, atualmente jogador do Boa Esporte, de Minas Gerais, recebeu, nesta quinta-feira, (27), notificação a respeito da decisão da Primeira Turma do STF (Supremo Tribunal Federal), que ordena seu retorno à prisão. Bruno, segundo seus advogados, já se entregou às autoridades e já voltou ao cárcere.

O mandado de prisão foi expedido pela Justiça de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e recebido em Varginha, no Sul do estado, pouco mais cedo.

"Ele acabou de se entregar, está preso. Agora vamos esperar a Justiça tomar suas precauções, fazer o que tem que fazer", disse o advogado de defesa Lúcio Adolfo.

"Inicialmente ele ficará em Varginha, mas, onde o sistema mandar, ele vai ficar", prosseguiu. "Meu plano é deixar o Bruno em liberdade novamente nos próximos 45 dias, isso dependerá da Justiça e eu tenho os meus caminhos. Mas com caminho legal, viu?"

O advogado reclama da postura da imprensa, que, segundo ele, criou uma "falsa impressão popular" contrária à liberdade do goleiro.

"O moço foi colocado em liberdade pela porta da frente do STF, saiu e foi trabalhar. Não teve um problema sequer na conduta dele desde que saiu. Sinto-me entristecido com a Justiça no Brasil. E não existe pressão popular, existe pressão na mídia e na imprensa, pressão que gerou essa falsa impressão que houve pressão popular. Não vi ninguém, do povo, se manifestar contra a liberdade do Bruno". 

Na última terça-feira (27), por 3 votos a 1, a Primeira Turma do STF decidiu, após pedido de Rodrigo Janot, procurador-geral da República, que Bruno teria de esperar em prisão preventiva o julgamento de seu caso em segunda instância. Bruno responde por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver contra a ex-amante Eliza Samudio, além de sequestro e cárcere privado do filho. Em primeira instância, foi condenado a 22 anos e 3 meses de prisão.

Bruno esteve preso desde 2010 até o fim de fevereiro deste ano, em medida cautelar, e foi solto por habeas corpus concedido pelo ministro Marco Aurélio Mello. A decisão colegiada anulou a determinação anterior do juiz da Corte. 

Neste breve período em liberdade, o goleiro Bruno foi contratado pelo Boa Esporte e fez cinco partidas na segunda divisão do Campeonato Mineiro. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos