Carro com jogadores do Vitória é atingido por tiro após clássico Ba-Vi

Vanderlei Lima

Do UOL, em São Paulo

  • E.C. Vitória/Divulgação

Um carro em que estavam três jogadores do Vitória foi atingido por um tiro na rua Mocambo, no bairro de Trobogy, em Sçavador. O episódio ocorreu quando o trio voltava para casa junto a um amigo após a o clássico Ba-Vi, que terminou com triunfo do Vitória sobre o Bahia, por 2 a 1, no Estádio do Barradão. 

De acordo com a assessoria de imprensa do Vitória, o trio passava por uma lombada em frente a um bar da região, quando uma pessoa saltou de um carro que estava atrás do veículo em que os jogadores se encontravam e atirou duas vezes. A segunda bala perfurou os dois vidros (dianteiro e traseiro) do carro, passando por entre os passageiros. Nenhuma pessoa foi atingida. Wallace se assustou e acelerou rumo à Av. Paralela, e o carro do atirador não o perseguiu.

Em entrevista ao UOL Esporte, o diretor jurídico do Vitória, Augusto Vasconcelos, o trio registrou um boletim de ocorrência na manhã desta sexta-feira, na 10ª Delegacia de Polícia, em Pau da Lima, para registro de ocorrência.

"Eles alegam que foram interceptados por um veículo na saída do estádio a uns 3 km à frente do estádio. Alguém desceu do veículo e atirou. O tiro acabou atingindo o para-brisa e o vidro do fundo do veículo. Nós detectamos só um tiro, mas eles alegam que ouviram mais de um disparo, mas só um atingiu o veículo. Os três atletas que não foram relacionados para o jogo e foram de carro próprio. Ainda bem que não aconteceu nada. Nós demos todo o suporte jurídico ao longo da madrugada, fomos à delegacia. Hoje será feita a perícia técnica do veículo e a gente tem cobrado que haja empenho nas investigações para que este tipo de episódio não volte a ocorrer". 

Para Vasconcelos, os tiros contra o veículo podem ter sido motivados por um ato de vingança da torcida do Bahia após a morte de um torcedor no último jogo entre as duas equipes. Na ocasião, o torcedor foi baleado em um posto de gasolina próximo ao estádio. Por conta da morte e de outras confusões que aconteceram no jogo, a CBF determinou que o clássico de quinta-feira e os próximos três, que ocorrem nos próximos dias, fossem realizados com torcida única.

"Ao longo da semana circulou, via Whatsapp, mensagem de um suposto torcedor informando que iria vingar a morte de um torcedor que havia sido morto no jogo passado. Então nós estamos analisando essa possibilidade aí". 

Apesar da desconfiança, o diretor jurídico do Vitória prefere aguardar as investigações policiais para tirar uma conclusão correta sobre o caso. "As investigações da polícia deverão apontar o motivo. A gente está pedindo a apuração...Eu não sei também se eles estavam tentando alvejar atletas, entendeu? Me parece que eles queriam alvejar qualquer torcedor, mas isso não tem como a gente falar agora".

De acordo com Vasconcelos, o atirador vestia uma camisa do Vitória, porém não dá para saber se é torcedor rubro-negro ou algum torcedor rival, que vestiu a camisa apenas para despistar. "Quem atirou estava com a camisa do Vitória, nós estamos achando que pode ter sido gente que usou a camisa do Vitória pra despistar, foi muito rápido". 

Em sua nota oficial, o Vitória ressaltou que os jogadores passam bem, apesar de estarem assustados. O clube ressaltou ainda as campanhas pela paz que a equipe tem tentado promover nos clássicos Ba-Vi. "O Esporte Clube Vitória lamenta que, em tempos de Ba-Vi da Paz, com campanhas neste sentido aderidas pela grande maioria dos torcedores, jogadores e da imprensa, episódios como estes ocorram nas imediações dos estádios que sediam os clássicos, independente do tipo de torcida autorizada a assistir aos jogos, e reitera sua posição de que a violência nas ruas é uma questão complexa e que não depende de quem está nas arquibancadas de um clássico".

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos