Membro do comitê de auditoria da Fifa se declara culpado por suborno

Do UOL, com informações da Reuters

  • Arnd Wiegmann/Reuters

Um membro do comitê de auditoria e compliance da Fifa se declarou culpado na quinta-feira contra acusações nos Estados Unidos de que ele levou cerca de US$ 1 milhão (R$ 3,1 milhões) em subornos em troca de usar sua influência dentro da organização governamental de futebol global.

Richard Lai, de 55 anos, se declarou culpado de acusações de conspiração por fraude telefônica perante a juíza de distrito Pamela Chen no Brooklyn, de acordo com promotores norte-americanos. Como parte do acordo, Lai concordou em pagar US$ 1,1 milhão (cerca de R$ 3,5 milhões).

As acusações contra Lai derivam de um escândalo global que envolveu a FIFA desde 2015, quando inúmeros oficiais de futebol foram indiciados nos Estados Unidos por acusações de corrupção que incluíam a distribuição de lucrativos direitos de comercialização e transmissão em troca de subornos. Vários já se declararam culpados.

Além de seu papel na Fifa, Lai é presidente da Federação de Futebol de Guam desde 2001 e pertence ao Corpo de Futebol da Ásia, a Confederação Asiática de Futebol (AFC), onde ocupou vários cargos, de acordo com promotores.

Em um comunicado divulgado nesta sexta-feira, a federação asiática, baseada na Malásia, disse que "suspendeu provisoriamente Richard Lai do futebol com efeito imediato".

O comitê de ética da Fifa deverá aplicar sua sanção na sexta-feira. A entidade ainda não se manifestou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos