Atlético-PR precisa quebrar tabu de 18 anos para tentar título no Couto

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Divulgação/Atlético-PR

    Kléberson era um dos destaques do Atlético na última goleada sobre o Coritiba no Couto Pereira

    Kléberson era um dos destaques do Atlético na última goleada sobre o Coritiba no Couto Pereira

Com uma desvantagem de três gols a ser pelo menos igualada e então levar a decisão para os pênaltis, o Atlético Paranaense irá ao Estádio Couto Pereira no domingo às 16h com a missão de quebrar um tabu de 18 anos. Desde 1999 o Furacão não vence o Coritiba na casa do rival com uma margem de três gols de diferença. Na última ocasião, a vitória simbolizou uma arrancada para um título nacional.

Foi em 1999, no Torneio Seletivo para a Libertadores. Na época, a Conmebol abriu uma vaga extra para o Brasil e a solução foi elaborar uma copa em que os times eliminados na primeira fase do Brasileirão iam se enfrentando, com a entrada posterior dos eliminados no mata-mata ao longo deste Torneio. Nono colocado na primeira fase, o Atlético avançou sobre a Portuguesa para enfrentar o Coritiba, que havia eliminado o Botafogo-RJ.

Com melhor campanha no Brasileirão – o Coxa havia sido o 13º - o Atlético decidiria em casa. Jogando no Couto Pereira o Furacão saiu atrás, mas virou o jogo com gols de Cocito, Adriano Gabiriu, Luizinho Netto e Kléberson. O placar de 4 a 1 deu grande margem para a vaga, mas mesmo assim, no jogo de volta, o Coritiba vendeu caro a eliminação vencendo a partida por 2 a 1, na primeira vitória do Coxa na Arena da Baixada reformada. O Altético ainda passaria por Inter, São Paulo e Cruzeiro para pela primeira vez garantir presença na Copa Libertadores.

Para tentar o título de forma direta, o tabu a ser quebrado é ainda maior. A última vez em que o Atlético venceu o Coritiba por quatro gols de diferença na casa do adversário foi ainda com o mítico Furacão de 1949, quando fez 5 a 1 no Belfort Duarte, o nome do Couto Pereira antes da ampliação e reforma do estádio.

Goleadas por 4 gols de diferença são raríssimas nos jogos entre os rivais e aconteceram apenas três vezes. Além desta em 1949, o Atlético venceu na Baixada por 5 a 1 em 1958 e o Coritiba fez o mesmo placar em 1995, no Couto Pereira, quando se iniciou a revolução capitaneada pelo atual presidente do conselho deliberativo atleticano Mario Celso Petraglia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos