Ceni diz entender desabafo de Eduardo Baptista e lamenta queda de treinador

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

Rogério Ceni deu a sua opinião sobre a queda de seu companheiro de profissão Eduardo Baptista, no Palmeiras. Antes do treino do São Paulo, nesta sexta-feira, no CT da Barra Funda, o treinador são-paulino se mostrou solidário ao colega, que perdeu o cargo após a derrota para o Jorge Wilstermann, da Bolívia, pela Copa Libertadores. 

"Lamento a saída do Eduardo, porque via um ótimo trabalho, com 66% de aproveitamento, quase classificado na Libertadores e eliminado de forma inesperada pela Ponte Preta [no Paulista]. Poderia levar o Palmeiras muito longe, assim como o próximo treinador, pela qualidade do elenco", disse Rogério.

Na última semana, após vitória de virada por 3 a 2 sobre o Peñarol, no Uruguai, o então treinador palmeirense fez um desabafo e reclamou da postura da imprensa. O são-paulino disse compreender o discurso de Eduardo Baptista.
 
"A pressão é muito relativa. Eu entendo perfeitamente o modo que ele se comportou na semana passada. Não é só pressão de imprensa. E eu não leio muito, mas vejo pessoas dando opiniões bem formatadas e outras que colocam algo mais apimentado em virtude da audiência de seu programa, o que é compreensível", afirmou Rogério, que acredita não ter o mesmo comportamento do colega.

"Não perderia meu tempo brigando com vocês sobre pressão, não ganharia nada, mas tinha um contexto da virada sobre o Peñarol, a briga, jogadores tomando pontapés. Você tem uma vitória épica dessa faz os nervos ficarem à flor da pele e você desabafar. Ele falou, em grande parte, uma verdade, mas hoje, antes de um treino, falo mais tranquilo. Ele tinha uma adrenalina diferente", completou Ceni. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos