Fanático e pacífico: vovô tem 80 anos de estádio e convive com brigões

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Youtube

    Vovô Ciccio tem 92 anos e frequenta estádios há 80

    Vovô Ciccio tem 92 anos e frequenta estádios há 80

O futebol é sua vida. Ele gosta de ficar perto dos torcedores que gritam o tempo todo, quase sempre está usando alguma peça de roupa do seu time e se acostumou a viajar para ver jogos em ônibus lotados com outros torcedores. Ele se define como "ultra", uma versão italiana do "torcedor organizado". E sua principal bandeira é a paz.

Francesco Malgieri tem 92 anos, 80 dos quais foram dedicados a torcer de perto pelo Foggia, time italiano que acabou de voltar para a segunda divisão. Na Itália, ele é conhecido como Vovô Ciccio e é considerado o ultra mais velho do mundo. Mas também o mais pacífico.

Ciccio é fanático pelo Foggia. Faz loucuras para acompanhar a equipe de perto, como, aos 92 anos, pegar estrada sozinho e dirigir por 250 quilômetros para ver o jogo que garantiu o acesso do seu time à segunda divisão depois de 19 temporadas. Ele fica junto com a torcida no setor de visitantes, próximo dos "ultras", sem problemas.

Mas dividir ônibus com alguns dos brigões que caracterizam parte da torcida já não o anima mais. "Os garotos gostam de fumar e de ficarem bêbados depois das partidas. Eu só uso os produtos fabricados por Deus, não pelo homem", conta ele ao El Mundo, que o acompanhou na partida do acesso.

Apesar de evitar parte da rotina ao lado dos ultras, o Vovô Ciccio é muito respeitado por todos eles. Existe até música em sua homenagem. "Faz uns 30 anos que começaram a me chamar de vovô dos ultras, foi quando começaram a me ver como um senhor mais velho", relata ele.

Ciccio se tornou um torcedor tão símbolo do Foggia que ele é aceito, e saudado, até em estádios onde os ultras do time são proibidos de entrar por questões de segurança. "Sou um ultra do bem", resume.

"Sou respeitado em todos os estádios. A polícia me conhece e o Foggia me presenteia o ingresso. Uma vez, os hooligans do Liverpool me chamaram para dizer que o que eu fazia era único", descreve o italiano.

O vovô ultra tem dois filhos e alguns netos, mas nenhum deles se interessa por futebol. Assim como sua mulher, que o espera em casa e, segundo ele, respeita sua paixão pelo Foggia. Tudo como deseja o Vovô Ciccio, com exceção feita aos quase 20 anos de seu time na terceira divisão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos