Aos 15, torcedora do Fla cumpre promessa por título: ir ao bar de joelhos

Emanuel Colombari

Do UOL, em São Paulo

Até onde a paixão pelo seu time pode te levar?

No caso de Lívia Maria da Silva Vieira, pode levar a um bar na cidade onde mora, Sooretama (ES). E se o destino não foge à regra na comemoração de muito torcedor, o caminho escolhido por ela até lá certamente foi incomum.

Aos 15 anos, a torcedora do Flamengo fez a festa com a conquista do Campeonato Carioca 2017 sobre o Fluminense. Na hora de comemorar, porém, resolveu assumir um compromisso diferente: de joelhos, foi da casa de sua avó, onde viu o jogo ao lado da família, ao bar Hora Extra, a cerca de 1 km de distância. Lá, mais rubro-negros faziam a festa.

"Foi (uma decisão) de momento. Logo aos 3 min, o Fluminense fez o gol, e eu fui pensando nos pênaltis. Minha avó torce contra o Flamengo - era muita gozação, e eu fui pensando em algo", explicou Lívia ao UOL Esporte, relembrando promessas anteriores feitas para títulos do Flamengo.

"Em 2014, já tinha feito uma promessa e não cumpri. Eu disse que ia passar um mês sem comer chocolate. Sou muito religiosa, então pensei: não posso prometer o que eu não posso cumprir", completou. Naquele ano, o Fla foi campeão carioca em cima do Vasco.

Diante do placar momentaneamente adverso na final de 2017, Lívia então pensou na promessa. E com a virada do Flamengo nos minutos finais, precisou cumpri-la. Assim, com a camisa do clube e acompanhada de familiares, percorreu de joelhos todo o caminho até o bar.

E como se as dores no joelho não fossem suficientes, o caminho ainda foi de sustos. "Um cara de moto quis me atropelar, porque eu não levantei em momento algum. Na hora de passar na faixa (de pedestres), ele quis arrancar. Minha tia entrou na frente", relatou ela – ainda assim, motivada para cumprir a meta. "Sabia que quando chegasse, o pessoal ia me dar força."

Depois de quase 25 minutos, Lívia finalmente chegou ao bar – sã e salva, mas com joelhos e pés machucados. O proprietário do estabelecimento, Leonardo Bich, festejou a iniciativa da amiga.

Leonardo Bich/Divulgação
No bar Hora Extra, Lívia foi recebida com festa de torcedores do Flamengo

"Rapaz, não acreditei quando vi. Muito hilário, diferente. Sou fanático pelo Flamengo, mas isso eu nunca vi", contou Bich, 28 anos. E a própria Lívia ficou feliz com a recepção que encontrou no bar.

"O pessoal aplaudiu, colocou o hino do Flamengo. Lá, a gente comprou água e jogou no joelho, porque estava sangrando demais. Na hora de voltar, voltei normal – a pé mesmo, com chinelo grudando e tudo", explicou.

 

Muitas dores, nenhum arrependimento

O dia seguinte, é claro, foi de curar as feridas – literalmente. Nesta segunda-feira, a adolescente se dedicou a fazer a limpeza dos joelhos e dos pés machucados com soro fisiológico.

"Para ser sincera, está bem inchado. Estou sentindo um pouco de dor, mas nada que o amor pelo Flamengo não possa curar", disse ela, que não procurou cuidados médicos "porque não agravou".

Acervo pessoal
Lívia passou a segunda-feira curando as feridas com soro fisiológico

Motivos para lamentar? Apenas um: segundo Lívia, com a divulgação da história, muitos torcedores a criticaram pela promessa. Mas ela garante que o apoio da família e o sucesso do Flamengo compensam.

"Eu não estou triste. Sei que foi um ato de amor pelo meu time. O que os outros pensam ou deixam de pensar… Eu não me arrependo. Eu faço de novo. Não tenho arrependimento", disse a flamenguista. "Meus parentes me deram muita força. Disseram: isso é coisa de outro time. Eu sei que é uma coisa meio louca de fazer promessa de joelhos. Mas é o amor, fazer o quê?"

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos