Caso Victor: Galo e Grêmio tentam acordo extrajudicial para quitar dívida

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Thomás Santos/AGIF

    Grêmio cobra Atlético-MG por parte da transferência de Victor (foto), em 2012

    Grêmio cobra Atlético-MG por parte da transferência de Victor (foto), em 2012

Atlético-MG e Grêmio tentam resolver o 'caso Victor' fora dos tribunais. Nos últimos dias, os dois clubes conversaram e uma proposta de quitação foi enviada pelo Galo. O Tricolor não aceitou e o motivo foi a diferença grande entre os valores da ação na Justiça e a oferta. Os números opostos são resultado de uma equação que envolve também o zagueiro Werley.

Segundo apurou o UOL Esporte, o Atlético-MG enviou oferta ao Grêmio na semana passada. Os números ficaram bem longe dos R$ 12 milhões definidos pela Justiça. O Grêmio já respondeu que não fecha acordo pela quantia proposta, mas não elimina a chance de um acerto.

A ideia é conseguir eliminar a burocracia da Justiça e acelerar o processo de quitação de uma dívida que se arrasta desde 2012. Não há prazo para uma nova rodada de negociação, com atualização das exigências de cada lado.

Juntos no Paraguai

A tentativa de acordo nasceu após encontro dos clubes no Paraguai, antes da quarta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. Atlético-MG e Grêmio ficaram hospedados no mesmo hotel, antes dos duelos diante de Libertad e Guaraní, respectivamente.

No local, houve conversa entre Daniel Nepomuceno e Romildo Bolzan Jr. Os dois presidentes decidiram avançar para uma oferta formal de quitação, inclusive com o Galo deduzindo os valores que entende ter direito pelos empréstimos de Werley, a Santos e Figueirense. O zagueiro, atualmente, está no Coritiba após deixar o Grêmio ao fim do contrato.

Nepomuceno e Bolzan já haviam se encontrado no Rio de Janeiro, em reunião da CBF. Na oportunidade, a dívida pela transferência de Victor não veio à tona. À época, o Grêmio tinha obtido bloqueio de contas do Atlético-MG na Justiça.

Relembre o caso

Victor trocou Porto Alegre por Belo Horizonte na metade de 2012. No negócio, o Grêmio recebeu Werley e mais um pagamento parcelado. No ano passado, a dívida ficou milionária. Neste ano, o Tricolor entrou com pedido de execução da dívida. Depois, conseguiu penhora online das contas do Atlético-MG quando da venda de Lucas Pratto ao São Paulo.

Paralelamente, o Grêmio também iniciou trâmite junto à CBF. Os advogados do time gaúcho pediram bloqueio de registros do Atlético-MG. O órgão da entidade máxima do futebol brasileiro pediu mais esclarecimentos e ainda não analisou a demanda.

No meio das duas ações, o Grêmio ouviu de intermediários que poderia ter Maicosuel. O meia-atacante foi oferecido aos dirigentes gaúchos e a transferência dele ajudaria a abater o valor devido pelo Atlético-MG. O negócio não avançou justamente pela ideia do Tricolor: receber a quantia devida.

Victor leva R$ 3,1 milhões

Grêmio e Victor também estão envolvidos em outro caso nos tribunais. Em abril, a 2ª Vara do Trabalho de Proto Alegre condenou o Tricolor a pagar cerca de R$ 3,1 milhões referente a dívidas trabalhistas. O processo foi iniciado pelo goleiro, em 2013, e não cabe recurso.

O clube gaúcho afirmou que já iniciou processo para quitação e, por conta de juros e honorários, desembolsará aproximadamente R$ 3,5 milhões de seus cofres. O processo trabalhista não tem ligação com a demanda do Grêmio contra o Atlético-MG.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos