Conmebol quer divulgar pena de F. Melo nesta sexta e adia punição dos times

Danilo Lavieri e Marcel Rizzo

Do UOL, em São Paulo

  • EFE/Raúl Martínez

    Felipe Melo acerta soco após perseguição de uruguaio; volante pode levar gancho pelo caso

    Felipe Melo acerta soco após perseguição de uruguaio; volante pode levar gancho pelo caso

O Tribunal de Disciplina da Conmebol pretende divulgar até a noite desta sexta (12) o resultado do julgamento dos quatro jogadores suspensos preventivamente pela confusão na partida entre Peñarol (URU) e Palmeiras, dia 26 de abril, em Montevidéu. Entre eles está Felipe Melo.

O Palmeiras preparou uma "estratégia de guerra" para convencer a entidade sul-americana de que todos os envolvidos foram vítimas. O time ainda diz não saber do prazo estipulado pela federação para a divulgação da punição. 

O volante palmeirense, que desferiu dois socos em Matías Mier ao ser acuado pelos adversários, foi suspenso provisoriamente por três partidas. Ele já cumpriu uma, na derrota por 3 a 2 para o Jorge Wilstermann (BOL), e terá de cumprir, ao menos, mais duas.

A defesa palmeirense trabalha para absolver o atleta, mas sabe que o cenário provável e ideal é que ela seja punido por três jogos. Caso seja enquadrado em agressão grave, ele pode pegar até cinco jogos sem entrar em campo e toda a estratégia do jurídico alviverde falharia.

Além de Melo, sairá até esta sexta a decisão para a situação dos jogadores do Peñarol Nahitán Nández, Matías Mier e Lucas Hernández.

Punição aos clubes deve demorar mais uma semana

A programação do tribunal, apurou o UOL Esporte, é de que não se conheça nesta sexta a decisão sobre possíveis punições aos clubes pelos problemas dentro de campo e fora dele, quando houve confronto de torcedores.

A imprensa estrangeira, inclusive, disse que a Conmebol deve abrir uma exceção e marcou uma sessão no tribunal para que o Peñarol se defenda. Isso pode prejudicar o Palmeiras, que corre o risco de atuar ao menos uma partida como mandante sem a presença de torcedores.

A definição, se ocorresse logo e fosse pelos portões fechados em uma partida, já seria cumprida no dia 24 de maio, contra o Tucumán (ARG), pela última rodada da fase de grupos.

O Palmeiras não está assegurado nas oitavas de final, mas está muito perto disso – pode até perder por um gol de diferença que avança. Por isso, esse era considerado o jogo ideal para atuar sem o apoio da torcida.

Se o tribunal demorar a definir, e optar pela punição, o clube corre o risco de ter de cumprir somente nas oitavas, já que nos próximos dias terá de começar a venda de ingressos para o confronto contra o Tucumán. O clube tem aberto a compra a sócio-torcedores cerca de dez dias antes das partidas (contra o Inter, pela Copa do Brasil dia 17 de maio, começou no dia 8).

O departamento jurídico do Palmeiras apresentou a defesa e espera que o clube seja "apenas" multado – pode chegar a US$ 400 mil (R$ 1,25 milhão). Mais do que a confusão dentro de campo e no vestiário, preocupa a briga entre torcedores. A Conmebol tem punido os clubes por problemas envolvendo os seus torcedores.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos