Borja admite dificuldade em recompor e se desculpa por "piti" com Baptista

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • Ricardo Nogueira/Folhapress

    Borja comemora gol do Palmeiras sobre o Vasco

    Borja comemora gol do Palmeiras sobre o Vasco

Artilheiro do último domingo com dois gols na vitória do Palmeiras por 4 a 0 contra o Vasco, Borja admite que precisa melhorar sua atitude defensiva, melhorando na recomposição como Cuca citou na coletiva de imprensa após a partida.

O colombiano afirmou que essa tem sido a principal diferente para tentar se adaptar ao futebol brasileiro e contou que a confiança transmitida pelo novo treinador tem sido fundamental para que marcar gols vire rotina no Alviverde.

"Eu falei com ele (Cuca) e senti algo especial. A forma como ele me falou eu me senti identificado com ele. Ele me dava toda a confiança e queria que eu sentisse como se essa camiseta e esse escudo fossem meus. E dessa forma a gente vai ter mais desejo de ganhar, deixar tudo o que o time precisa e vou pedir o que os técnicos estão pedindo", afirmou, para depois explicar o que precisa melhorar.

"Preciso ajudar mais a equipe e isso tem sido difícil para mim. Foi difícil já com o Eduardo e agora também é difícil com o Cuca. É diferente demais da Colômbia. Aqui em dois toques eles já estão atacando de novo e lá eles jogam mais cadência, com mais pausa. Mas não tem desculpas e vamos trabalhar para mostrar a melhora. Aqueles dias que eu não marquei foram muito difíceis para mim e para a minha família", explicou.

Por falar em Baptista, Borja veio a público pela primeira vez para poder comentar o piti que deu com o ex-técnico. No jogo contra a Ponte Preta, na semifinal do Paulista, o colombiano foi substituído, chutou longe um copo d'água e reclamou por ser sempre sacado da equipe.

Na ocasião, o então técnico repreendeu o jogador e conversou com todo o grupo para explicar que aquele tipo de atitude não seria mais tolerada.

"Foi algo que acontece quando você está de cabeça quente. Eu peço desculpa ao técnico e para todo o grupo. Eu pedi perdão para todos os que viram aquele gesto. Porque não sou esse tipo de jogador, que tem esse tipo de reação. Eu espero que isso não se repita", se desculpou.

"Aqueles foram momentos de tensão que estávamos vivendo. Eu e todo o time. Foram momentos difíceis que vivemos com o Eduardo e que lastimavelmente ele saiu. Mas eu aprendi muito com ele, com a humildade e paciência dele. E isso é fundamental", finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos