Chape relata aviso de suspensão a 2min de jogo e veto a troca de L. Otávio

Daniel Fasolin

Colaboração para o UOL, em Chapecó

  • AP/Agustin Marcarian

A Chapecoense venceu sua primeira partida em solo argentino na última quarta-feira (17) diante do Lanús pela quinta rodada do Grupo 7 da Libertadores da América. A equipe catarinense está a uma vitória de ir às oitavas de final da competição, no entanto a escalação do zagueiro Luiz Otávio pode causar a perda dos pontos da partida.

Segundo a Conmebol, o zagueiro da Chapecoense teria sido julgado pela expulsão contra o Nacional-URU na quarta rodada da competição continental e teria sido punido com três partidas de suspensão e mais uma multa de US$ 3 mil dólares (R$ 9,4 mil). O jogador teria cumprido uma partida de suspensão contra o Atlético Nacional em Medellín pela Recopa Sul Americana.

Na oportunidade o clube catarinense foi informado pela entidade Sul Americana que o jogador deveria cumprir a suspensão de um jogo contra o Atlético e não na próxima partida, que seria a de ontem diante do Lanús.

Cientes de que a suspensão já havia sido cumprida a comissão técnica escalou Luiz Otávio para a partida, mas, cerca de minutos antes do jogo começar, o clube teria sido informado da nova punição ao zagueiro.

Às pressas a Chapecoense tentou substituir Luiz Otávio por Nathan e inserir Fabricio Bruno, outro zagueiro, no banco de reservas. Porém a tentativa foi frustrada, segundo o delegado a sumula já havia sido formulada e não haveria possibilidade para tais alterações.

Segundo relatos, o delegado da partida teria mostrado no celular a notificação expedida pela Conmebol, aos integrantes da diretoria e da comissão técnica, o que gerou revolta de dirigentes e espanto dos jogadores eu ficaram sem entender a situação.

Procurado pelo UOL Esporte, o vice-presidente jurídico da Chapecoense, Luiz Antônio Pallaoro, afirmou não ter recebido o comunicado antes dos acontecimentos no estádio La Fortaleza. "Oficialmente não fomos comunicados até o momento da partida. Devemos nos preocupar, mas temos razões para lutar juridicamente", afirmou.

Após a partida o presidente da Chapecoense Plínio David de Nês falou sobre o episódio e garante que a Chapecoense está tranquila quanto ao caso. "Estamos convictos com nossa decisão e não temos nada a declarar além disso e estamos tranquilos", declarou o dirigente.

De acordo com o cartola, a Chapecoense só foi avisada dois minutos antes de a partida começar. "Nós recebemos um aviso dois minutos antes da partida começar e eu como presidente do clube tomei a decisão de entrar em campo com os jogadores relacionados. Recebemos o aviso dois minutos antes apenas de forma verbal", continuou.

A Chapecoense retorna a Chapecó na noite desta quinta feira (18) e o departamento jurídico da Chapecoense já começa a trabalhar em cima do caso e espera a resolução do caso o mais breve possível.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos