Empresário do goleiro Bruno é suspeito de assassinato e está foragido

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

Lúcio Mauro é o primeiro à esquerda em foto durante apresentação de Bruno ao Boa

Poucos dias depois de o goleiro Bruno voltar para a prisão, o empresário do atleta, Lúcio Mauro de Melo Rodrigues, tem o nome ligado a um assassinato em Matozinhos, cidade mineira que fica próximo de Sete Lagoas e distante cerca de 50 quilômetros de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Civil, Lúcio Mauro é suspeito do assassinato de Rodrigo da Silva Almeida, de 20 anos, seu enteado.

O crime aconteceu na tarde desta quinta-feira. De acordo com informações da Polícia Civil, Lúcio Mauro e a esposa foram ameaçados por Rodrigo da Silva antes do assassinato. Versão confirmada pela esposa do empresário e mãe da vítima.

Como o empresário Lúcio Mauro não foi encontrado pela polícia e ainda não se entregou, ele é considerado foragido. O delegado de Matozinhos, Ednelton Carracci, aguarda que o empresário de Bruno se entregue nas próximas horas.

"Segundo testemunas do crime, o autor do disparo irá se apresentar à polícia. Mas como ainda não recebi ligação de nenhum advogado, ele é considerado foragido", explicou Carracci em entrevista ao jornal Hoje em Dia.

De acordo com informações da Polícia Militar, Rodrigo da Silva Almeida era usuário de drogas e já tinha passagem pela polícia por tráfico.

Lúcio Mauro foi o responsável pela negociação que levou o goleiro Bruno até o Boa Esporte. Após conseguir habeas corpus, o jogador condenado pelo assassinato de Eliza Samúdio assinou contrato com a equipe de Varginha em março deste ano e até disputou algumas partidas pelo Campeonato Mineiro do Módulo 2, equivalente à segunda divisão estadual.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos