Lesão de Sóbis obriga Cruzeiro a usar estilo de jogo preterido por Mano

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Douglas Magno/AFP Photo

    Ramon Ábila deve permanecer como titular do Cruzeiro após a lesão de Rafael Sóbis

    Ramon Ábila deve permanecer como titular do Cruzeiro após a lesão de Rafael Sóbis

A lesão muscular de Rafael Sóbis obriga o Cruzeiro a utilizar uma formação não muito comum nos times de Mano Menezes. Sem o atleta que exercia o papel de "falso 9", o treinador terá que atuar com um legítimo centroavante no comando do ataque. O escolhido é Ramón Ábila.

O homem-gol da Raposa sofreu uma lesão na coxa esquerda após o jogo de volta da final do Campeonato Mineiro e terá de se ausentar dos gramados por pelo menos mais sete semanas. O período fora de combate abre espaço para outros atletas atuarem na referência do sistema ofensivo.

Nos dois primeiros jogos sem Rafael Sóbis, Mano Menezes precisou recorrer a um centroavante de ofício para formar a linha de ataque de sua equipe. O problema é que o treinador não está entre os maiores fãs deste tipo de atleta.

Em março deste ano, ele explicou por que prefere um jogador que se movimente com mais frequência entre os homens de frente: "Ele [Ramón Ábila] é finalizador e precisa que a bola chegue para ele. Tenho de entender esta situação, ele não vai participar do processo de criação de jogadas, mas vai estar lá na área, sem que a bola fique passando sem ter um pé para finalizar", comentou.

O histórico recente de Mano Menezes mostra a sua preferência por jogadores que deixam a área para auxiliar na construção de jogadas. Na primeira passagem pelo Cruzeiro, o treinador deixou Leandro Damião entre os reservas e passou a jogar com Willian na referência do ataque.

O mesmo aconteceu no início de sua segunda passagem pela Toca da Raposa II. O Bigode, atualmente no Palmeiras, se tornou titular novamente, mesmo com Ábila entre as opções. Em 2017, após a ida de Willian para a Academia de Futebol, o argentino seguiu entre os suplentes e Sóbis assumiu a condição de titular.

O caso mais emblemático foi durante a passagem pela seleção brasileira, quando chegou a utilizar Neymar na função, negligenciando nomes como Fred, Luis Fabiano e o próprio Leandro Damião, que seria seu atleta em clube anos mais tarde.

Nos próximos compromissos do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro, Mano Menezes terá de manter Ramón Ábila como referência da equipe e utilizar uma forma de jogar que está longe de ser a sua preferida.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos