Abel ganha "quebra-cabeça" com volta de Scarpa: Henrique ou Richarlison?

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Lucas Merçon/Fluminense F.C.

    Scarpa voltou a ser relacionado após fissura no pé e criou dor de cabeça para Abel

    Scarpa voltou a ser relacionado após fissura no pé e criou dor de cabeça para Abel

Foram pouco mais de dois meses sem o seu principal jogador, mas o técnico Abel Braga, enfim, já pode contar de novo com Gustavo Scarpa em sua equipe.

Por um lado, a notícia é excelente para o treinador do Fluminense, que pode contar com uma importante opção em seu elenco. Por outro, o Tricolor tem de conviver com a chamada "boa dor de cabeça" para arrumar um espaço para o seu camisa 10. Desde que o meia teve uma fissura no pé direito, Abel conseguiu encontrar um time ideal, que contou com a ascensão de Richarlison para se tornar uma equipe envolvente, rápida e de bom toque de bola. 

Com o atacante caindo pelos lados, Henrique Dourado passou a receber mais bolas, marcou gols e vive o seu melhor momento com a camisa tricolor. No meio, o trio Orejuela, Wendel e Sornoza se firmou e nada indica que Abel vá mexer no setor. Motorzinho do time, Wellington Silva também tem status de titular.

Com o progressivo retorno do meia, que já foi relacionado nos dois últimos jogos,  a tendência é que sobre para Henrique ou Richarlison. Se tirar o Ceifador do time, Abel vai ter de contornar algumas consequências: Richarlison não é exatamente um "9" e teria de ocupar o espaço que é do artilheiro.

Se optar pela manutenção de Dourado, Abel pode frear a evolução do camisa 70, que vem se firmando com um dos jogadores mais efetivos do Fluminense na atual temporada. Há, ainda, uma questão extracampo envolvida: Richarlison é a bola da vez para deixar as Laranjeiras e sair da vitrine poderia ser ruim para um eventual negócio.

Alheio a estas questões, Dourado analisou o momento do Flu, que vem de derrota por 3 a 1 para o Grêmio, em jogo válido pela Copa do Brasil. "Oscilação é natural quando você chega a uma quantidade grande de jogos. Toda equipe passa por isso. Nenhum time deixou de oscilar no Brasil esse ano. Dentro das oscilações, que toda equipe tem, a gente tem de ter tranquilidade e seguir trabalhando. A tempestade vem, mas uma hora ela passa. Tem de trabalhar e corrigir os erros", analisou Henrique.

Neste sábado, o Flu faz seu último treino antes de encarar no domingo o Atlético-MG, às 16h, no Estádio Independência.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos