Conmebol dá prazo para Chape apresentar defesa sobre escalação irregular

Daniel Fasolin

Colaboração ao UOL, de Chapecó

  • AFP PHOTO / Eitan ABRAMOVICH

A Chapecoense vive momentos de apreensão nesta segunda-feira (22). O clube tem até as 13h para entregar sua defesa no caso Luiz Otávio, jogador envolvido com suspeita de escalação irregular na Libertadores. A Conmebol deve expedir o veredicto até as 12h de terça-feira (23).

O prazo causou estranheza à diretoria da Chapecoense, já que a entidade máxima do futebol sul-americano costuma aguardar até as 18h este tipo de documentação – como ocorreu em outros casos.

O clube não se pronuncia sobre o caso desde quinta-feira (18), um dia após a vitória sobre o Lanús por 2 a 1, pela quinta rodada do grupo 7 da Libertadores. Para efetuar sua defesa, a Chape contratou o advogado Mario Bittencourt, que já defendeu o Fluminense no caso contra a Portuguesa em 2013.

Bittencourt, desde que foi contratado, é o único que pode se pronunciar sobre o caso. Na manhã desta segunda, ele confirmou à reportagem do UOL Esporte que o clube homologará a defesa perante à Conmebol até às 11h30 da manhã de hoje.

"A Conmebol antecipou o prazo para hoje às 13 horas o que causa estranheza. Queremos ser ouvidos pela Conmebol no Paraguai. Solicitamos isso a eles e não é um praxe da entidade", disse Bittencourt.

O advogado enfatizou também que o trabalho realizado durante o final de semana foi intenso, realizado por ele e mais dois advogados - Marcelo Amorety, advogado fixo da Chapecoense, e Marcelo Mendes, sócio de Bittencourt.

"Nossa linha de defesa é sólida no caso do Luiz Otávio. Já entramos com a defesa e nossa linha foi, que a Chapecoense foi induzida ao erro", explicou Bittencourt.

"A Chapecoense não foi avisada sobre o julgamento do jogador e nem notificada sobre a punição. Na Recopa, a Chapecoense foi notificada sobre a suspensão do Luiz Otávio e que ele devia cumprir na próxima partida da Libertadores e depois recebeu a notificação de que deveria cumprir contra o Atlético Nacional", continuou.

"Porém a Conmebol alega ter enviado um e-mail para o clube falando sobre a suspensão de três jogos e a Chapecoense não acusou recebimento como fez no caso da Recopa" completou.

O CASO

Segundo a Conmebol, o zagueiro Luiz Otávio teria sido julgado e suspenso por três jogos devido sua expulsão contra o Nacional-URU. A entidade teria enviado à Chapecoense um e-mail notificando o clube sobre o caso ainda no dia no dia 10 maio.

A Chapecoense alega não ter recebido o e-mail da entidade e ter sido avisada somente minutos antes da partida contra o Lanus. Caso a Chapecoense seja punida com perda de pontos, será eliminada ainda na primeira fase da Libertadores. Se for absolvida, precisará de uma vitória diante do Zulia na rodada final para avançar às oitavas de final.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos