Ricardo Teixeira quer se defender nos EUA, mas não fechou colaboração

Rodrigo Mattos

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • EFE/Antonio Lacerda

    Ricardo Teixeira quer se defender na Justiça dos EUA das acusações de crimes

    Ricardo Teixeira quer se defender na Justiça dos EUA das acusações de crimes

Advogado de Ricardo Teixeira, Michel Asseff Filho afirmou nesta segunda-feira (22) que o ex-presidente da CBF deseja se defender nos Estados Unidos das acusações de receber propina por contratos da entidade relacionados à Copa do Brasil, além das negociações com a Nike.

A defesa do cartola ainda negou que exista um acordo de delação com a Justiça norte-americana, como foi noticiado na última edição da revista Veja. Segundo Asseff, Teixeira sequer teve contato com os procuradores dos Estados Unidos. Não significa, porém, que não possa ocorrer no futuro.

"Não tem nenhuma colaboração acertada. O Ricardo Teixeira quer se defender na Justiça dos Estados Unidos. Há precedente de que ele possa fazer isso do Brasil", explicou o advogado Michel Asseff Filho.

Ricardo Teixeira é acusado juntamente com o ex-mandatário José Maria Marin e o atual presidente Marco Polo Del Nero pelos crimes de fraude eletrônica, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Asseff Filho entrará com uma petição na Justiça dos Estados Unidos para que Teixeira possa se defender do Brasil nos próximos dois meses. A defesa aguardará o aval para que ele entre no processo e depois definirá a estratégia. Não está descartado um acordo de delação premiada no futuro.

Uma eventual colaboração de Teixeira poderia ter impacto sobre Marco Polo Del Nero, inclusive no processo em andamento na Fifa.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos