Chape entra com efeito suspensivo contra punição imposta pela Conmebol

Daniel Fasolin

Colaboração para o UOL, de Chapecó (SC)

  • Andre Penner/AP Photo

O advogado Mário Bittencourt, que representa a Chapecoense no caso da punição aplicada pelo Conmebol ao clube pela escalação Luiz Otávio em partida da Libertadores, entrou na última terça-feira (23) com um efeito suspensivo contra as penas impostas ao clube pela confederação sul-americana.

O corpo jurídico do time catarinense entrou com este primeiro pedido garantir prazo de sete dias para protocolar a defesa no Tribunal de Apelação da Conmebol.

"Entramos ontem com o pedido, que nos garante tempo para gente montarmos nossa defesa. Nos basearemos nas mesmas premissas anteriores e teremos novos elementos nessa defesa", disse Bittencourt.

O caso pode ganhar novos contornos após a derrota do Nacional-URU para o Lanús na última rodada do Grupo 7 da competição. Caso o Lanús perca os pontos para a Chapecoense, ainda assim, ficaria com a primeira colocação da chave e a Chapecoense, com a segunda. Neste cenário, quem perderia a vaga seria o Nacional-URU

O único clube que fez representação contra a Chapecoense foi o próprio Lanús. Segundo o regulamento da Conmebol, o Nacional-URU perdeu o prazo para questionar a escalação de Luiz Otávio em duelo anterior. Só há, portanto, um resultado a ser contestado: o de Lanús x Chape, disputado no dia 17 de maio, o qual a equipe brasileira venceu no campo por 2 a 1.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos