Mudança no regulamento dificulta ação dos clubes chineses no mercado

Do UOL, em São Paulo

  • VCG/Getty Images

    Ricardo Goulart, do Guangzhou Evergrande, é um dos brasileiros que jogam na China

    Ricardo Goulart, do Guangzhou Evergrande, é um dos brasileiros que jogam na China

Nesta quarta-feira (24), a Associação Chinesa de Futebol publicou edital no qual informa uma mudança no regulamento de transferências que deve dificultar a importação de jogadores. A partir da próxima janela de transferência, clubes terão de investir na Fundação Chinesa de Desenvolvimento o mesmo valor gasto em contratações de estrangeiros.

Em outras palavras, um jogador estrangeiro vai custar o dobro de seu valor para os chineses. Se um clube investir R$ 15 milhões na contratação de um brasileiro, por exemplo, terá de dar também R$ 15 milhões para a Fundação Chinesa de Desenvolvimento.

De acordo com o edital, a iniciativa visa o "desenvolvimento global saudável do futebol chinês" em detrimento de investimentos que só dão resultado a curto prazo.

A Associação ainda informou que, para cada jogador estrangeiro escalado em uma partida, um de até 23 anos de idade também tem que ser utilizado. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos