Polêmico, Omar foi pivô de briga com Ceni que motivou saída de Cuca do SP

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • Fernando Santos/Folha Imagem

    Ceni e Cuca, em 2004; briga entre goleiro e preparador interferiu na vida do técnico

    Ceni e Cuca, em 2004; briga entre goleiro e preparador interferiu na vida do técnico

Omar Feitosa foi multado pela diretoria do Palmeiras por ter discutido com Felipe Melo durante um treino na última segunda-feira. Essa, porém, está longe de ser a primeira vez que o preparador físico se envolve em uma confusão do tipo. Há quase 13 anos, uma polêmica entre ele e o então goleiro Rogério Ceni provocou a saída do técnico Cuca do São Paulo. Curiosamente, Omar, Cuca e Ceni estarão novamente reunidos neste sábado, no clássico entre as duas equipes, no Morumbi.

Da mesma maneira como aconteceu com Felipe Melo, o problema entre Omar e Ceni começou em um rachão antes de uma partida de Copa Libertadores, no caso contra o Alianza Lima, do Peru. Na ocasião, o ex-arqueiro atuava na linha na atividade e reclamou de uma anotação feita pelo preparador físico, que fazia as vezes de árbitro no chamado "dois toques".

Segundo pessoas que integravam a equipe, mesmo com a presença do então diretor de futebol do clube, Juvenal Juvêncio, Omar não levou desaforo para casa e gritou com Ceni. Disse que expulsaria o goleiro na próxima vez que fosse apitar um rachão e que não importava ele ser um jogador de renome. Ainda esbravejou mais um pouco para Cuca. Após alguns minutos, os três conversaram e tentaram colocar panos quentes.

Ainda de acordo com integrantes do time, a relação entre o goleiro e o preparador nunca mais foi tão amistosa após o episódio. De perfil explosivo, Omar ainda teria outros atritos com Ceni no dia a dia, o que afetaria a passagem de Cuca pelo São Paulo, como ele próprio admitiu anos depois. 

BRUNO ULIVIERI/RAW IMAGE/ESTADÃO CONTEÚDO
Omar Feitosa e Felipe Melo se desentendem durante treinamento do Palmeiras

"Eu me demiti do São Paulo de maneira absurda. Perdemos de 3 a 2 para o Coritiba e eu escutei um comentário dos jogadores no vestiário que eu não gostei e eu me demiti na coletiva. E tive uma discussão com o Rogério Ceni, que eu acho o maior ícone da história do São Paulo e o melhor goleiro com quem já trabalhei, em que eu estava errado. Ele [Rogério Ceni] teve uma discussão com meu preparador físico [Omar Feitosa] e eu peguei as dores do meu preparador sem saber o teor, e o teor era que ele estava totalmente errado, o meu preparador. São erros que hoje certamente eu não teria", admitiu Cuca, em entrevista ao "O Estado de S. Paulo" de 2013.

Envolvido na discussão da última segunda, Cuca chegou a dar uma bronca particular em Omar Feitosa, cobrando o membro da comissão técnica pela exposição desnecessária de um conflito interna à imprensa. Na última quarta, a direção do clube decidiu intervir e multou o preparador e Felipe Melo pela confusão. 

Bate-boca não foi nem o primeiro do ano

Neste ano, além da briga com Felipe Melo, Omar Feitosa discutiu com Thiago Santos na primeira partida da semifinal do Campeonato Paulista, em Campinas, entre Palmeiras e Ponte Preta. Após disputa de bola entre Fernando Bob e Willian, o volante palmeirense, que estava no banco de reservas, reclamou com a arbitragem.

Omar tentou conter o jogador. Ambos discutiram de maneira veemente, e o preparador físico palmeirense empurrou o volante, que não gostou do ato. Outros atletas contiveram Thiago Santos para evitar um clima de insatisfação ainda maior do camisa 21 do Palmeiras. Depois da partida, o então treinador do Palmeiras, Eduardo Baptista, tentou minimizar a discussão.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos