Mudança de regra na China coloca Diego Costa no radar do Atlético de Madri

Do UOL, em São Paulo

  • Frank Augstein/AP

A China está mudando sua política de contratações de jogadores estrangeiros. E isto pode ajudar o Atlético de Madri a contar novamente com o atacante Diego Costa.

De acordo com a Associação de Futebol da China (CFA), os clubes que contratarem jogadores estrangeiros a partir de junho deverão pagar uma taxa que dobrará o valor da contração. Em resumo, o clube que adquirir um atleta no exterior pagará o mesmo valor da negociação à CFA para o desenvolvimento do futebol de base chinês, gastando o dobro na contratação.

Além disso, a Superliga Chinesa pretende estipular uma cota mínima de atletas locais nas competições a partir de 2018. A meta é fazer com que os times utilizerm o mesmo número de estrangeiros e de jogadores sub-23 em uma mesma partida, de forma a fomentar a revelação de atletas. Cada agremiação contaria com no máximo com três estrangeiros em campo.

Com os obstáculos para a contratações de estrangeiros, o futebol chinês vê esfriar os boatos de um acerto entre Diego Costa e o Tianjin Quanjian. No começo de maio, a rádio espanhola Cadena SER anunciou o interesse do clube no atacante espanhol do Chelsea – que despistou sobre o interesse.

Entretanto, a permanência do atacante no clube londrino não é garantida. Nesta quinta-feira, segundo a própria Cadena SER, o Atlético de Madri demonstrou interesse pela "situação atual de Costa diante da nova legislação do governo chinês a respeito de contratações".

Nascido no Brasil, o atacante defendeu o Atlético de Madri entre 2010 e 2014, com uma passagem por empréstimo pelo Rayo Vallecano. Neste período, conquistou o Campeonato Espanhol (2014), a Copa do Rei (2013) e a Supercopa Europeia (2010 e 2012), além de um vice-campeonato na Liga dos Campeões da Europa de 2014.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos