Grêmio volta a sonhar com Lucas Leiva, mas esbarra em Europa e grana

Jeremias Wernek e Pedro Lopes

Do UOL, em Porto Alegre e em São Paulo

  • Reuters / Paul Childs

    Lucas Leiva fica sem contrato e deve deixar o Liverpool ao fim da temporada

    Lucas Leiva fica sem contrato e deve deixar o Liverpool ao fim da temporada

O Grêmio sonha com a volta de Lucas Leiva e segue os passos do volante desde dezembro, mas o retorno de um dos titulares na 'Batalha dos Aflitos', em 2005, é difícil. Três são os entraves: o padrão financeiro do atual jogador do Liverpool, a concorrência de gigantes da Europa e a ideia da família do atleta de seguir fora do Brasil.

Segundo o UOL Esporte apurou, Lucas já tem proposta oficial de outros times europeus. Inter de Milão e Besiktas foram citados pela imprensa local como alguns dos interessados.

A permanência no Liverpool é incerta. Em 2017, ele completou dez anos em Anfield e, nos festejos, indicou um clima de adeus. O contrato, ao contrário do que se chegou a publicar, expira somente na metade de 2018 e o clube inglês tem opção de prorrogação por mais 12 meses.

Em Porto Alegre, o Grêmio acompanha os passos de Lucas Leiva com atenção. Em dezembro, houve contato entre clube e o atleta. Uma proposta foi montada, mas os valores ficaram muito distantes. O salário e os bônus na Inglaterra superaram qualquer patamar compatível com as finanças do Tricolor, além da necessidade de compensação ao Liverpool ou tratativa para obter liberação antecipada.

Logo após a saída de Walace, vendido ao Hamburgo-ALE, o Grêmio descartou investir em Lucas Leiva por saber do entrave financeiro, mas o interesse seguiu vivo nos corredores da Arena. Com o andar da temporada e a carência de um volante persistindo, o clube retomou a ideia e voltou a se acercar do jogador.

"Se viesse, não seria só um jogador. O Lucas seria diferente, seria um projeto para entusiasmar a torcida. As conversas existem, mas dependem de uma série de coisas. Vejo, no dia de hoje, quase uma impossibilidade em função do tempo que ele ainda pode ficar na Europa", disse Romildo Bolzan Jr., presidente do Grêmio, à RBS TV.

Nas últimas semanas, pessoas próximas de Lucas foram procuradas. Um novo contato direto com o jogador ainda não foi feito. A resposta de quem tem ligação com o jogador foi quase idêntica: o momento vivido no Brasil não empolga a família Leiva a voltar.

Antes da nova bomba política, com delação da JBS e impacto em Brasília e a reboque na economia, a insegurança já preocupava o jogador. Seguir na Europa, no Liverpool ou em outro clube mediante boa oferta, é a prioridade. O Grêmio teria preferência caso o mercado do outro lado do mundo não tivesse mais ofertas.

Para boa parte da diretoria, o retorno de Lucas Leiva ajudaria a ampliar as chances do Grêmio na disputa pelo título da Libertadores. Uma ala mais conservadora cita os valores e não é tão eufórica com a possibilidade. Lucas Leiva, 30 anos, surgiu no Grêmio em 2005. Participou da campanha que deu título da Série B ao clube gaúcho e saiu do Brasil em 2007. No Liverpool, acumula mais de 340 jogos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos