Patrocinadores da CBF não poderão anunciar em jogos da seleção na TV Brasil

Eduardo Ohata e Rogerio Jovaneli

Colaboração para o UOL, em São Paulo

A decisão da CBF em transmitir os próximos amistosos da seleção brasileira na TV Brasil afetará os patrocinadores da própria entidade. Em contato com o UOL Esporte, a emissora estatal confirmou que as marcas não poderão anunciar durante as partidas.

"A legislação não permite que a TV Brasil veicule comerciais, apenas publicidade institucional. Portanto, pelo acordo firmado, a TV Brasil não usará os breaks (intervalos) com os patrocinadores dos jogos e a CBF vai retirar aqueles comerciais que sobem na tela ao longo da partida", disse a TV Brasil.

Os amistosos da seleção acontecerão no dia 9 de junho, contra Argentina, e 13 de junho, com a Austrália. Ambas as partidas serão disputadas em Melbourne, na Austrália. Ao todo, a CBF possui 10 marcas patrocinadoras.

O acordo com a TV Brasil será por uma janela de três horas na transmissão da emissora estatal. O acordo por partida será de R$ 15 mil. "A TV Brasil não terá custos e poderá atender os telespectadores da TV pública", prossegue a nota.

Além da TV Brasil, a CBF negocia com a Band para a transmissão da partida. A entidade estuda fechar com uma empresa de telefonia, no caso a Vivo, para transmitir os confrontos por celular. De acordo com o blogueiro Juca Kfouri, também há um acordo para que os jogos sejam transmitidos pelo Facebook.

Segundo o blogueiro, a nova postura da CBF, que não entrou em acordo com a Globo para as partidas, tem o dedo de Marcelo Campos Pinto, ex-diretor do Globo Esporte. Ele e João Pedro Paes Leme, também ex-Globo, tem prestados serviços à CBF na área de direitos de transmissão para o exterior dos jogos do Brasileirão e também da Copa América de 2019, que acontecerá no Brasil.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos