Entre acertos e fiascos, Guardiola fez mercado de R$ 728 mi. Veja avaliação

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

  • Darren Staples / Reuters

    Guardiola terá mais 300 milhões de euros para reforçar o City nesta janela

    Guardiola terá mais 300 milhões de euros para reforçar o City nesta janela

Com o fim da temporada europeia se aproximando, os clubes já se mexem em busca de reforços na janela de transferências. E como de costume, o Manchester City é novamente protagonista nessa época do ano: como o time de Pep Guardiola vai se remodelar após uma primeira temporada que ficou abaixo das expectativas?

De acordo com a imprensa europeia, o clube liberou 300 milhões de euros (mais de R$ 1 bilhão) para Guardiola trazer jogadores. É mais do que na temporada passada, quando ele gastou 200 milhões de euros (R$ 728 milhões, em valores atuais) em seis reforços. Mas esse dinheiro foi bem gasto? Relembre quanto custou e como foi o desempenho de cada uma das contratações de Pep em 2016.

John Stones

Stu Forster/Getty Images

Posição: zagueiro
Clube anterior: Everton
Preço: 55,6 milhões de euros (R$ 201 milhões)
Avaliação: regular

Após uma temporada promissora como titular do Everton aos 22 anos, o zagueiro se tornou o reforço mais caro do Manchester City para 2016/17. Em um setor que mostrou muitos problemas durante toda a temporada, Stones foi um dos jogadores com mais regularidade. Foi quase sempre titular, mas duas lesões atrapalharam o ano do zagueiro – na pior delas, ficou um mês fora de combate, entre abril e maio. O desempenho não foi ruim, mas também passou longe do espetacular: na Liga dos Campeões, por exemplo, Stones teve atuações fracas na eliminação para o Monaco, sofrendo com o ataque formado por Falcao e Mbappé.

Leroy Sané

Darren Staples/Reuters

Posição: meia-atacante
Clube anterior: Schalke 04
Preço: 50 milhões de euros (R$ 181 milhões)
Avaliação: ótimo

Certamente o alemão de 21 anos entra no time das contratações acertadas. Após um início de temporada tímido, prejudicado por uma lesão muscular, Sané estreou em setembro e rapidamente roubou a posição de Nolito no lado esquerdo do ataque do City. Com dribles e velocidade pela ponta, conquistou a torcida e fechou a temporada como um dos jogadores mais elogiados do time na imprensa inglesa. Tem tudo para crescer na próxima campanha e fazer jus ao alto valor investido.

Gabriel Jesus

Ian Walton/Getty Images

Posição: atacante
Clube anterior: Palmeiras
Preço: 32 milhões de euros (R$ 116 milhões)
Avaliação: ótimo

A temporada de Jesus pelo City foi muito mais curta do que qualquer um gostaria, mas enquanto o brasileiro esteve em campo, quase sempre brilhou. Após estrear em janeiro e fazer três gols nos quatro primeiros jogos do Campeonato Inglês, uma fratura no pé o tirou dos gramados por três meses. Ficou de fora da Liga dos Campeões, voltou na reta final da temporada e fez mais quatro gols, além de mostrar entrega e uma adaptação rápida ao estilo de jogo físico e veloz da Inglaterra. Xodó da torcida, com moral com Guardiola e um dos principais nomes do time para o futuro.

Ilkay Gündogan

AP/Dave Thompson

Posição: volante
Clube anterior: Borussia Dortmund
Preço: 27 milhões de euros (R$ 98 milhões)
Avaliação: regular

Mais um caso em que as lesões impedem uma análise mais completa. Volante de muito talento no passe, visão de jogo e chegada à frente, Gündogan alternou bons e maus momentos em seus seis primeiros meses de City, até uma lesão grave no joelho encerrar sua temporada já em dezembro. Estava em um de seus melhores momentos quando se machucou, titular no meio-campo ao lado de David Silva e Kevin De Bruyne. Deve voltar só em meados de setembro.

Nolito

Jon Super/AFP Photo

Posição: atacante
Clube anterior: Celta de Vigo
Preço: 18 milhões de euros (R$ 65 milhões)
Avaliação: fiasco

Depois de uma grande temporada pelo Celta e de quase fechar com o Barcelona para ser reserva do trio Messi-Neymar-Suárez, Nolito acabou atendendo ao chamado de Guardiola para jogar no City. E após uma temporada, já é seguro afirmar que não deu certo. O atacante espanhol, jogador de velocidade e infiltração, em nenhum momento se encaixou com o restante do time. Chegou até a ser testado como centroavante em alguns momentos, também sem sucesso. Começou a temporada como titular e perdeu a vaga para Sané. O jogador teve problemas de relacionamento com Pep e já pediu para deixar o clube.

Claudio Bravo

Andrew Couldridge/Reuters

Posição: goleiro
Clube anterior: Barcelona
Preço: 18 milhões de euros (R$ 65 milhões)
Avaliação: fiasco

A maior decepção do mercado de Guardiola certamente foi o goleiro Claudio Bravo. Pep chegou a dispensar o ídolo Joe Hart, emprestado ao Torino, porque o inglês não tinha intimidade com a bola nos pés, algo fundamental para sua ideia de jogo. Mas o chileno ex-Barça falhou muito – com os pés e com as mãos. Erros em partidas importantes, como o clássico com o Manchester United e o duelo contra o Barcelona na Liga dos Campeões, fizeram com que Bravo fosse para a reserva do veterano Caballero, algo inimaginável no começo da temporada. Para completar, uma lesão no início de maio acabou com qualquer chance de recuperação do camisa 1.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos