Jogador do Guarani atrasa pensão e é preso; advogado consegue habeas corpus

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

  • Divulgação

    Gilton, lateral esquerdo do Guarani, recupera-se de lesão

    Gilton, lateral esquerdo do Guarani, recupera-se de lesão

O lateral esquerdo Gilton, do Guarani, foi preso na tarde desta sexta-feira (2), em Campinas, na sede de um Poupatempo localizado no centro da cidade. O motivo da prisão foi o atraso no pagamento de pensão alimentícia – ele deve pouco mais de R$ 20 mil.

Gilton estava no Poupatempo, por volta das 15h, para oficializar a extensão de seu contrato com o Guarani até o fim desta temporada. Horas depois, porém, o jogador recebeu boa notícia: seu advogado, Renan Alarcon Rossi, conseguiu o habeas corpus - alegando que o atleta não tinha conhecimento da ação de alimentos ajuizada em seu desfavor, já que processos dessa natureza tramitam em segredo de justiça. Com isso, ele depende apenas da burocracia para ser liberado.

"Ocorre que o atleta não foi regularmente citado para apresentar sua defesa. Dessa forma, a decretação de sua prisão se mostrou totalmente ilegal. Nesse sentido, impetramos Habeas Corpus comprovando cabalmente a ilegalidade o que já foi reconhecido pelo Egrégio Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo com a determinação com urgência de expedição de contramandado de prisão. Portanto, a solução do problema será realizada de forma particular pelo atleta que nunca se furtou de cumprir suas obrigações, apenas não tinha conhecimento da demanda ajuizada", informou o advogado em comunicado enviado ao UOL Esporte.

Titular do Guarani na campanha de acesso para a Série B no ano passado, Gilton atualmente está lesionado e sequer viajou para Goiânia, onde o elenco bugrino se encontra para enfrentar o Vila Nova neste sábado, no Serra Dourada, às 16h30.

Procurado para comentar o caso, o Guarani, através da assessoria de imprensa, prometeu ajuda o atleta no caso: "É um problema pessoal do jogador, vamos entender o caso, daremos o suporte necessário e, se preciso, nos manifestaremos".

Gilton, de 28 anos, chegou ao Guarani na metade de 2016, contratado do Ventforet Kofu, do Japão. Ele ainda acumula passagens por Joinville, Chapecoense, Paraná, Paysandu, Cuiabá e Sampaio Corrêa.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos