Processo de lixo em área ilegal gera bloqueio de R$ 2,4 mi do Corinthians

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Diego Salgado/UOL Esporte

    Depósito de lixo em área do CT gerou problema para o Corinthians

    Depósito de lixo em área do CT gerou problema para o Corinthians

Movido pela Prefeitura de São Paulo, um processo referente ao Parque Ecológico do Tietê gerou, nesta semana, um bloqueio judicial de R$ 2.426.166,46 em duas contas bancários do Corinthians.

A ação teve início em 2016 a partir de multa de aproximadamente R$ 1,4 milhão imposta pela Prefeitura, o que somado a juros e correções atuais ocasionou o bloqueio do valor.

Reprodução
Corinthians foi à justiça por contas bloqueadas

O Corinthians é acusado em razão do depósito de lixo em área próxima ao CT Joaquim Grava. O clube se defende e afirma que não teve qualquer participação no episódio que teria ocorrido, inclusive, em terreno não utilizado.

Em fevereiro, o Corinthians havia oferecido o terreno do Parque São Jorge como garantia em função de decisão da justiça de São Paulo. Mesmo assim, teve os valores bloqueados, o que irritou dirigentes. Em sua defesa, o Corinthians alega inclusive que a questão prescreveu, já que teve origem em 2010.

"É um valor que faz diferença para qualquer um. Estamos organizando as finanças do clube e é uma quantia elevada, sobretudo se tratando de uma multa ambiental", pontou o diretor jurídico Luiz Alberto Bussab. "Vamos contestar na justiça e fazer nossa defesa", disse ainda.

Na última quinta-feira, a prefeitura de São Paulo foi intimada a se manifestar dentro de cinco dias para que os valores sejam desbloqueados e o Parque São Jorge seja aceito para efeito de garantia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos