Em adeus, Dorival destaca transformação do Santos e busca por jogo bonito

Do UOL, em São Paulo

  • Marcello Zambrana/AGIF

    Dorival Júnior foi demitido do Santos após derrota em clássico para o Corinthians

    Dorival Júnior foi demitido do Santos após derrota em clássico para o Corinthians

O técnico Dorival Júnior emitiu comunicado oficial neste domingo (4), pouco depois de ser demitido do Santos, e fez um balanço de sua passagem de pouco menos de dois anos pelo clube. Segundo ele, o time se transformou durante seu comando e passou de "flertar com o rebaixamento" para estar na "parte de cima da tabela".

"No fundo, quando decidi permanecer treinador do Santos em 2017, eu sabia que seriam dois caminhos: a glória ou pressão. Faz quase dois anos que retornei ao clube e pouco existe da realidade que encontrei", disse Dorival.

O treinador também citou como pontos positivos a busca constante por jogar bem e fazer jus ao "DNA ofensivo" do Santos, além de jovens que se desenvolveram com ele, como Zeca, Thiago Maia e Gabigol.

"Deixo com orgulho os quase 65% de aproveitamento em dois anos, mas não é isso que ficará marcado. Levo na memória a busca por jogar bem, por tentar criar um time que proponha um futebol mais bonito de ser visto, como é o DNA do Santos", afirmou.

Contratado em julho de 2015, Dorival Júnior deixa o Santos classificado às oitavas de final da Copa Libertadores e às quartas de final da Copa do Brasil. No Campeonato Brasileiro, o time ocupa a 16ª colocação após quatro rodadas, com uma vitória e três derrotas.

Confira na íntegra o comunicado de Dorival Júnior:

"Hoje fui comunicado pela direção do Santos Futebol Clube sobre meu desligamento.

No fundo, quando decidi permanecer treinador do Santos em 2017, eu sabia que seriam dois caminhos: a glória ou pressão. Faz quase dois anos que retornei ao clube e pouco existe da realidade que encontrei.

De um time que flertava com o rebaixamento, hoje saio com título conquistado e tendo estado na parte de cima da tabela em todas as competições.

Deixo com orgulho os quase 65% de aproveitamento em dois anos, mas não é isso que ficará marcado. Levo na memória a busca por jogar bem, por tentar criar um time que proponha um futebol mais bonito de ser visto, como é o DNA do Santos.

Bacana ver os filhos que essa passagem deu. Zeca e Tiago Maia, campeões olímpicos. Gabriel vendido depois de recuperar o futebol. Sair de opção no banco para ser titular. Depois para a seleção e para o futebol europeu. É gratificante retomar o projeto da base, e ter, além deles, o Lucas Veríssimo como realidade; e os meninos Artur e Matheus ganhando corpo.

Sem esquecer do Vitor Bueno, que não é exatamente da base. Mas que foi contratado novo, por tão pouco e é um dos artilheiros do time desde que virou titular.

Foram muitas as possibilidades de sair do clube no final do ano passado, mas a vontade de fechar esse ciclo com um grande título falou mais forte. Infelizmente o trabalho foi interrompido antes que pudesse ocorrer.

De toda forma, muito obrigado ao Santos e à torcida. Meu carinho e respeito aos funcionários do clube, em especial aos que convivia todos os dias no CT, todos vocês me ajudaram muito.

E mais que tudo, obrigado aos jogadores. Todos: aos mais novos que sempre quiseram aprender. E aos mais velhos, os que já tinha trabalhado e os que conheci aqui. Foi muito gratificante trocar experiências com todos, ouvir e falar de futebol em busca de constante melhora.

Todos vocês, durante esses quase dois anos, foram leais e acreditaram que era possível era possível vencer jogando bem".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos