STJD denuncia Mano, Mancini e mais 5 por confusões em Chape x Cruzeiro

Do UOL, em São Paulo

  • Washington Alves/Cruzeiro

    Mano Menezes foi denunciado por atrapalhar uma cobrança de lateral do adversário

    Mano Menezes foi denunciado por atrapalhar uma cobrança de lateral do adversário

A procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) denunciou sete pessoas, mais a Chapecoense, pelas ocorrências durante o jogo da equipe catarinense contra o Cruzeiro, que terminou em empate por 0 a 0, na última quinta-feira (1), pela Copa do Brasil.

Além do clube de Chapecó, estão denunciados os atletas Victor Ramos e Reinaldo, o técnico Vagner Mancini e os dirigentes Rui Costa e João Carlos Maringá. Já do lado do Cruzeiro, entraram na mira do tribunal o treinador Mano Menezes e o lateral Diogo Barbosa. Os julgamentos estão agendados para a próxima segunda-feira (12), a partir das 13h.

A Chapecoense foi denunciada pela invasão de campo de Mancini e dos dirigentes, e também por conta de um lançamento de um objeto no quarto árbitro, Evandro Tiago Bender, por parte dos torcedores na Arena Condá. A equipe foi enquadrada no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), "não prevenir e reprimir desordens, invasão de campo e lançamento de objeto". O clube pode perder entre um e dez mandos de campo.

Victor Ramos e Reinaldo, por sua vez, foram denunciados por ofenderem o árbitro Péricles Bassols com palavrões após o apito final. Os dois dirigentes também foram acusados por Bassols na súmula de proferirem xingamentos. Os jogadores podem pegar gancho de até seis jogos, e os dirigentes, de até 180 dias. Já Mancini pode ficar suspenso por três partidas.

No Cruzeiro, Mano foi denunciado por tentar atrapalhar uma cobrança de lateral de Reinaldo e pode ser suspenso por até seis jogos. Diogo Barbosa também está sujeito à mesma pena, por ter arremessado um copo d'água em confusão na entrada dos vestiários.

"Recebemos o e-mail com as denúncias, mas já estávamos cientes das mesmas. Já tínhamos uma defesa prévia já realizada e agora vamos analisar todas as razões das denúncias. Acreditamos, que por termos tomado providências, principalmente no caso do torcedor que atirou a pilha no quarto árbitro, que teremos boas bases de defesa", disse Luiz Antonio Pallaoro, advogado da Chapecoense.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos