Grupo aponta maquiagem em balanço e vai pedir reprovação das contas do Flu

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Mailson Santana/Fluminense F.C

    Peter Siemsen conseguiu eleger Pedro Abad como seu sucessor

    Peter Siemsen conseguiu eleger Pedro Abad como seu sucessor

As contas do exercício de 2016, último ano de mandato de Peter Siemsen no Fluminense, serão votadas nesta quinta-feira, nas Laranjeiras. Apesar da ampla maioria no Conselho Deliberativo, o ex-mandatário tricolor vai ter pela frente um grupo que promete fazer barulho e votar pela reprovação. Intitulado "Associação Nacional Tricolor de Coração", esta ala oposicionista alega que apenas uma maquiagem nas contas permitiu que o Flu fechasse o ano passado com um superávit de R$ 8 milhões.

Pelos cálculos defendidos por estes conselheiros, o número que representa o desempenho real financeiro do tricolor indica um déficit de R$ 72 milhões, que só foi turbinado graças aos recebimentos futuros referentes ao contrato com a Rede Globo. 

Estes conselheiros entendem que a inclusão das receitas de televisão (cujo contrato vigora a partir de 2019) fere as regras do Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro (Profut). Para os opositores, esta antecipação caracterizaria gestão temerária e poderia fazer com que o clube perdesse os benefícios da medida. A lei veda "antecipar ou comprometer receitas referentes a períodos posteriores ao término da gestão ou do mandato", mas abre uma brecha para um "percentual de até 30% das receitas referentes ao primeiro ano do mandato subsequente e "em substituição a passivos onerosos, desde que implique redução do nível de endividamento"

Este grupo defende ainda que a contabilidade "real" do Fluminense apontaria para um déficit anual acima de 20% da receita bruta apurada, o que também representaria gestão temerária aos olhos do Profut.

"Se você é uma empresa e tem recebíveis, você coloca como um ativo seu. O objetivo da lei era evitar que as administrações comprometessem receitas futuras. Se houver ofensa a este princípio, há ilegalidade. Se a gestão temerária for configurada, isso pode trazer problemas penais e cíveis para o administrador", disse o deputado federal Otavio Leite, relator do Profut.

"É legal, mas não é correto. Esse presidente não é o que será daqui a cinco anos. É um uso político, não gerencial, e todo mundo só quer fazer política aqui. Flamengo, Corinthians e Grêmio também lançaram esse dinheiro da televisão nos seus balanços, mas só o Flamengo não dependia dele para ser superavitário", opinou o especialista Amir Somoggi.

O UOL Esporte apurou que a atual diretoria tricolor está segura que o clube não ultrapassou o teto estipulado e que não há risco algum em relação à manutenção no Profut. À época da assinatura, Pedro Abad, atual presidente, presidia o Conselho Fiscal tricolor. Ele foi o escolhido por Peter Siemsen e seu grupo político para ser o candidato na eleição de novembro passado.

As vendas de Marlon (Barcelona) e Gerson (Roma) também causam controvérsia para parte dos conselheiros, em especial a negociação do meia com o clube italiano. As inclusões da venda nas demonstrações de 2015 e 2016 causaram estranheza, mas a cúpula da atual gestão defende a seguinte tese: em 2015 houve uma entrada de valores de uma operação bancária que antecipou a venda de Gerson, mas a receita foi colocada no balanço seguinte por ter sido o ano da ruptura do contato entre as partes.

São 300 conselheiros com direito a voto. Para que Siemsen tenha suas contas aprovadas, basta que a maioria simples vote a favor. O Conselho Fiscal já se mostrou favorável ao sinal verde. No entanto, o trio responsável pelo parecer enviado aos conselheiros deixou um alerta: "não se pretende, de nenhuma forma, mascarar a delicada situação administrativa, econômica e financeira deixada ao final de 2016".

Procurado, Pedro Abad informou que não se manifestaria antes da reunião desta noite. A reportagem procurou Peter Siemsen, mas não obteve resposta até o fechamento desta matéria.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos