Tite vê desafio em manter seleção em alta: "não sei quanto podemos crescer"

Vitor Pajaro

De Melbourne, em colaboração para o UOL

  • Pedro Martins/ MoWa Press

Acumulando nove vitórias em nove jogos no comando da seleção brasileira, o técnico Tite disse, em entrevista nesta quinta-feira em Melbourne, que tem como desafio manter o time em ascendência até a Copa do Mundo da Rússia, daqui um ano.

O treinador já colocou em prática o seu plano para atingir o objetivo nesta semana, na preparação para o duelo contra a Argentina, sexta-feira, às 7h05 (de Brasília), com transmissão do UOL. Ele explica o que pretende com os próximos amistosos e jogos das Eliminatórias até a disputa do Mundial.

"Esse é meu desafio, da comissão técnica e dos atletas: consolidar e crescer. Não sei quanto equipe pode crescer, mas tenho que dar combustível, treinamento, criatividade... Atletas em alto nível em seus clubes para que se consolide um estágio que possamos crescer", disse.

Neste sentido, Tite acredita que seria importante a disputa da Copa das Confederações, torneio que reúne em junho os campeões continentais, o país-sede (Rússia) e os atuais campeões mundiais (Alemanha). Mas ele vê a seleção em condições de, ao menos, manter o nível de jogo no próximo ano.

"Gostaria de ter (a Copa das) Confederações. Quanto mais tempo tanto, melhor. Mas será desafiador. Temos algum espaço para confirmar esse desempenho. Não é no Mundial, é amanhã, foi hoje no treinamento, toda essa construção. Atleta tem que vir aqui com naturalidade para ter um grande desempenho amanhã. Fizemos trabalho da equipe que não iniciava para estabelecer este padrão. Não se constrói sem padrão", explicou.

"Precisamos jogar bem e ter resultado para que autoestima se consolide e a equipe também possa consolidar. Falar do resultado, mas do desempenho antes, de jogar bem, consistência, competitividade leal, ofensividade, criatividade, finalização, gol, grande espetáculo", enumerou.

Especificamente para o jogo contra a Argentina, Tite quer o time jogando "sem pensar". Sem Neymar, Willian atuará pela esquerda, e Phillipe Coutinho continuará desempenhando sua função pela esquerda.

"(Quero) Estabelecer rotina, jogar sem pensar, mecânica, e com alternativas. Os dois (Coutinho e Willian) jogam dos dois lados, pode haver uma flutuação maior de um ou de outro, um mais agudo. Mas mantemos o setor direito com o Coutinho. Pode mudar? Pode, assim como podem inverter Renato Augusto e Paulinho. Começamos a construir esses movimentos para situações de posicionamento diferente, em função do jogo e disposição", explicou.

UOL transmite partida

O UOL transmitirá ao vivo, em vídeo, os amistosos da seleção brasileira contra Argentina e Austrália, respectivamente nos dias 9 e 13 de junho, em Melbourne (Austrália), com oferecimento de Jeep. As duas partidas poderão ser acompanhadas na web e na versão mobile do portal a partir das 7h (de Brasília).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos