Campeão olímpico, William prepara 'adeus' ao Inter com polêmica e silêncio

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Internacional

    William não deve mais atuar pelo Internacional e 2017 foi ano para ser esquecido

    William não deve mais atuar pelo Internacional e 2017 foi ano para ser esquecido

De xodó da torcida e absolvido no rebaixamento a vaiado e empurrado pela torcida para fora do clube. Estes são os últimos atos de William com a camisa do Internacional. O lateral direito campeão olímpico com a seleção não deve mais atuar na equipe de Porto Alegre, está vendido ao Wolfsburg, da Alemanha, e viaja no início do próximo mês. E em vez de deixar os colorados tristes pela saída, a verdade é que a torcida não parece sentir falta alguma.

William era, em 2016, um dos principais jogadores do time. Jogou de lateral, foi improvisado no meio-campo, e sempre contou com total apoio. Cria das categorias de base do Inter, a saída dele para seleção brasileira na disputa dos Jogos Olímpicos era eleito internamente como uma das razões para a queda de rendimento do time, que acabou rebaixado à Série B.

Nem mesmo tal queda prejudicou a imagem do jogador frente ao povo colorado. Junto a Danilo Fernandes e Rodrigo Dourado, era um dos 'absolvidos' pelo momento ruim. Jamais foi vaiado individualmente até o início deste ano.

Foi quando uma série de polêmicas passaram a acompanhar o jogador. Primeiro a recusa a renovar contrato e a pressão para ser vendido. Em seguida, uma nota oficial em que disse que não jogaria mais no Internacional e pretendia ir embora.

Foi o estopim para o ódio dos aficionados. William foi afastado pela direção, não participou da pré-temporada, e um encaminhamento de acordo só veio posteriormente. Demorou até o fim de fevereiro para ele retornar ao elenco com um acordo mantido sob sigilo.

O Inter vendeu o jogador ao Wolfsburg, da Alemanha, por 4 milhões de euros (R$ 14,6 milhões pela cotação atual) e uma das condições para o acordo foi sua volta ao grupo. Ele atuou em 20 partidas e o rendimento passou longe do ano passado. Deu espaços, não acrescentou ao time, tanto que as vaias que passaram a o acompanhar por conta da polêmica decisão de deixar o clube se tornaram ainda maiores justificadas pelo rendimento em campo.

Enquanto isso ele jamais se explicou. Fugiu de qualquer manifestação, não conversou com a torcida através da imprensa ou mesmo com novas notas oficiais. Silenciou até o fim de sua trajetória pelo clube.

Pelo terceiro jogo seguido, William não está relacionado para a partida desde sábado contra o Náutico. A justificativa inicial era uma lesão. O técnico Guto Ferreira não garante se ele estará ou não nos planos até a ida ao Velho Continente. No entanto, a reportagem do UOL Esporte apurou que ele não deve mais ser utilizado, viajando no fim de junho para seu novo destino. Na sexta-feira, ele ficou fora mais uma vez da relação dos disponíveis para o jogo com Náutico. Também pela queda de rendimento, pela necessidade de construção de uma equipe pensando no futuro da disputa da Série B e pela ideia de 'reatar' com a torcida, que seria abalada pela má relação com ele. 

"Ele estando integrado ao grupo e apto, vai para o jogo. Não estando apto não tem como ir para o jogo., É mais ou menos isso", afirmou Guto.

Com 22 anos, William foi campeão gaúcho em 2015 e 2016 no Inter. Nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, era reserva da equipe de Rogério Micale e disputou três partidas na campanha da medalha de ouro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos