CBF seduz Pelé, monta "dia de rei" e minimiza desgaste com Del Nero

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

Pelé voltou a sentir na pele o status de "Rei do Futebol" durante esta sexta-feira, nas horas em que permaneceu na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Rio de Janeiro. Ele foi tratado como estrela na transmissão oficial de Brasil x Argentina, almoçou no local e ainda fez uma visita especial no Museu Seleção Brasileira. As "regalias" mostram uma tentativa de reconciliação dos principais dirigente da entidade com o maior jogador de futebol do país. 

O ex-jogador, assim como aconteceu com o atual técnico da seleção, Tite, foi um dos principais nomes a assinar o "Manifesto por uma nova CBF", organizado pelo movimento Bom Senso em 2015. Na ocasião, o documento foi levado à sede da entidade por ex-jogadores e em um dos trechos pedia a renúncia do presidente Marco Polo Del Nero do comando da CBF:

"Exigimos a renúncia definitiva de Marco Polo Del Nero e sua diretoria, seguida da convocação de eleições livres e democráticas para o comando da CBF, sem a atual cláusula de barreira, mecanismo que impede a aparição de posições independentes ao sistema vigente, pois exige oito assinaturas de federações e mais cinco de clubes para candidaturas".

Desde então, se criou um clima não tão amistoso entre Pelé e a entidade máxima do futebol brasileiro. Raramente se viu ligação entre o Rei do Futebol e a CBF. Com a visita desta sexta-feira, o desgaste entre as duas partes foi minimizado. 

Mensagens na transmissão e visita a Museu

Reprodução/CBF TV

Desde o início da transmissão oficial do duelo entre Brasil e Argentina, a figura de Pelé foi exaltada pelo narrador Nivaldo Prieto. Vídeos com mensagens de Tite e Marta, elogiando o Rei do Futebol, foram exibidos durante a transmissão. O de Marta chegou a ser mostrado em duas oportunidades no programa feito após o final da partida, que terminou com vitória dos argentinos por 1 a 0. 

Pelé teve espaço de sobra para comentar durante a transmissão, elogiando o desempenho da seleção e do trabalho feito por Tite, "cornetando" alguns jogadores da Argentina, como o jovem Dybala, da Juventus. O Rei ainda considerou o resultado injusto e fez até um alerta para o desempenho da Austrália, adversário do Brasil no amistoso de terça. "Não achem que será um jogo fácil", alertou Pelé. Prieto rapidamente concordou com a opinião do ex-jogador. 

Ricardo Stucker/CBF

Ao término da transmissão, foi a vez de Pelé ser tratado com tapete vermelho em visita ao Museu Seleção Brasileira, localizado dentro da sede da CBF. Ele conheceu o acervo do local, lançado em 2014, reencontrou a Taça Jules Rimet de 1970 e ainda teve uma oportunidade pouco usual no local: os responsáveis pelo museu tiraram os troféus das Copas do Mundo de 1958, 1962 e 1970 da redoma em que ficam para o Rei tirar foto e beijar as taças. 

No final do passeio, ainda deixou uma mensagem, servindo quase como um garoto-propaganda para o museu. "Quem gosta da Seleção precisa vir ao Museu! A maior família e mais conhecida do mundo dentro da história é a família do futebol. É um grande passeio e convido a todos para darem uma olhada. E vejam principalmente as conquistas que eu fiz parte", disse, rindo.

Pelé voltará à sede da CBF na próxima terça-feira para a transmissão do duelo contra a Austrália. De acordo com informações divulgadas pela Folha de S. Paulo, a CBF pagará cerca de R$ 400 mil pela participação de Pelé como comentarista das duas partidas. 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos