Rafinha pode ter chance 2 anos após rejeitar seleção e ter atrito com Dunga

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Pedro Martins/MoWa Press

    Rafinha, em treino da seleção brasileira em Melbourne:

    Rafinha, em treino da seleção brasileira em Melbourne:

Versões distintas, um atrito com Dunga e Gilmar Rinaldi e uma possível chance de defender as cores da campeã mundial Alemanha. 

Rafinha viveu tudo isso em 2015 e agora terá mais uma chance para, quem sabe, finalmente escrever uma história maior pela seleção brasileira. Cotado para assumir a posição no amistoso da próxima terça-feira, contra a Austrália, o lateral do Bayern de Munique terá a chance de apagar o episódio que marcou sua história na CBF recentemente.

Chamado para defender a seleção contra Chile e Venezuela, Rafinha pediu para ser cortado. A situação ocorreu depois de conversa por telefone com o então diretor Gilmar Rinaldi, que deu aval para Dunga incluir o jogador na lista. Se tivesse jogado pelo Brasil nas Eliminatórias, o que é considerado jogo oficial, já não poderia mais defender a Alemanha.

No mesmo período, por completar 10 anos em atividade no futebol local, Rafinha havia dado entrada no processo para obter cidadania alemã. À época, meses depois da aposentadoria de Phillip Lahm na seleção, a convocação dele era cogitada pela imprensa local. Em declarações repercutidas pelo jornal Bild na época, o brasileiro se colocou à disposição. Ele, porém, nega a entrevista.

"Primeiro, tenho de obter o passaporte. Se Joachim Löw (técnico da seleção) entrar em contato comigo depois da naturalização, estou pronto para jogar pela Alemanha", comentou Rafinha, segundo o Bild.

"Essa notícia foi criada, eu não sei quem inventou essa notícia de seleção alemã. O problema foi que depois que eu tirei o passaporte alemão, já que eu completei 10 anos no país, a Alemanha tinha acabado de ser campeã do mundo e o Löw, técnico da seleção alemã, me ligou e disse que gostaria de contar comigo. Fiquei feliz, mas em nenhum momento eu falei que gostaria de defender a Alemanha", explicou Rafinha, recentemente, ao Sportv.

Joachim Löw, em entrevista à revista Kicker em 2015, negou que Rafinha fosse uma opção. "Este não é um tema para nós. Nunca tentamos forçar a mudança de cidadania para a seleção nacional", comentou. A opção alemã, desde aquele momento, foi por jogadores mais jovens na posição como Kimmich, do mesmo Bayern.

O fato é que as idas e vindas com Rafinha à época causaram considerável mau estar com Dunga e Rinaldi. Segundo fontes próximas à dupla da CBF, o lateral inicialmente não teria sido claro o bastante em sua opção, o que levou a seleção brasileira a lista-lo. Já o jogador disse que não se via parte dos planos, algo que gerou a recusa daquele momento.

"Eu não me via como parte dos jogadores que estavam sendo convocados. Estava jogando todo ano no Bayern, ganhando títulos, e não tinha oportunidades na Seleção", disse na última semana Rafinha, já em Melbourne, onde trabalha ao lado de Tite.

O telefonema do novo treinador e a chance de brigar novamente por espaço

ANDREAS GEBERT / EFE
Presente com Guardiola, Rafinha perdeu espaço na atual temporada

Há muito tempo Rafinha estava no radar de Tite. Afinal, em 2013, em dificuldades de renovar contrato no Bayern, fora indicado e negociara com o Corinthians para se tornar reforço. No fim, teve a permanência pedida por Pep Guardiola. Fato é que, recentemente, o treinador já declarara que gostaria de ver o lateral de perto, na seleção.

Há algumas semanas, como de costume, Tite telefonou para saber se havia alguma pendência do episódio de 2015 e se Rafinha estava disponível. Ainda mais distante do radar da Alemanha, ele agradeceu o contato do treinador e se colocou às ordens para, dessa vez, aceitar o chamado para dois amistosos.

"Foi um mal-entendido, tanto que quando Tite me ligou eu disse que, mesmo ele não convocando, eu já era grato por ele ter me ligado para saber o que aconteceu. Ele acompanhou uns jogos do Bayern sem eu saber que ele estava no estádio. Quando ele me ligou, ele falou: 'Eu já estou te acompanhando tem um tempo. Não vou te garantir nada. Só quero saber o que aconteceu. Qual que é o seu desejo de defender a seleção brasileira'. Aí eu expliquei tudo para ele (...). As pessoas não sabem o que acontece por fora", comentou Rafinha ao Sportv recentemente.

"Na Europa é muito comum um treinador ligar para um jogador e perguntar como ele está, se ele tem interesse de estar em uma seleção. No Brasil isso não acontece. Em 2008, a Seleção era muito forte. Em todas as posições existam dois ou três jogadores. Nessa época eu também fui convocado com o Dunga e ninguém entrava em contato. No Brasil, nunca o treinador foi de ligar para o jogador e antecipar. É uma coisa legal o que acontece na Europa e eu fiquei feliz de ele ter me acompanhado em toda essa temporada e ter me dado essa oportunidade", declarou.

A oportunidade de iniciar contra a Austrália na terça-feira, o que pode ser confirmado em treinos dos próximos dois dias, surge justamente após a temporada de menos oportunidades pelo Bayern (ver abaixo). Tite, porém, colocou Rafinha ao lado de Fagner, Mariano e Marcos Rocha, outros laterais já chamados por ele e que concorrem, hoje, à reserva de Dani Alves para a próxima Copa do Mundo.

Os números de Rafinha em seis temporadas pelo Bayern:

2016/17: 28 jogos e 1566 minutos
2015/16: 34 jogos e 2184 minutos
2014/15: 41 jogos e 3386 minutos
2013/14: 46 jogos e 3602 minutos
2012/13: 17 jogos e 766 minutos (sofreu grave lesão de joelho)
2011/12: 35 jogos e 2639 minutos

UOL transmitirá a partida

O UOL voltará a transmitir ao vivo, em vídeo, o último amistoso da seleção brasileira em Melbourne, na Austrália, com oferecimento de Jeep. Os comandados de Tite enfrentarão a equipe da casa na terça-feira e os internautas poderão acompanhar na web e na versão mobile a partir das 7h (de Brasília).

Para a iniciativa inédita, o UOL transmitirá o sinal oficial distribuído pela CBF, que terá os comentários de Pelé. O Rei do Futebol ainda terá a companhia do ex-jogador Denílson, pentacampeão da Copa em 2002, e do narrador Nivaldo Prieto.

A exemplo do jogo contra a Argentina, na sexta-feira, o internauta do UOL ainda poderá assistir a um programa especial no intervalo e após as partidas com a participação dos blogueiros Julio Gomes e Vitor Birner.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos