Carille revela aumento por título paulista e quer ficar por "muito tempo"

Dassler Marques e Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Ricardo Nogueira/Folhapress

    Carille é celebrado após conquista do Paulistão: reajuste salarial

    Carille é celebrado após conquista do Paulistão: reajuste salarial

Líder do Campeonato Brasileiro e campeão paulista com o Corinthians, o treinador Fábio Carille revelou nesta terça-feira, véspera de confronto com o Cruzeiro, que a conquista recente valeu um reajuste salarial no clube. Com muito bom humor, Carille ainda disse que não tem outros planos para o futuro que não seja a permanência no próprio clube. 

"Me vejo aqui. Quero ficar aqui por muito tempo. Se esquecerem de mim, vou ficando aqui (risos). Vocês vão me aguentar (risos). Consolidou, mas não sou bobo. Sei onde estou. Sou muito grato pelo que o Corinthians tem feito por mim. Tive um reconhecimento na semana final do Paulista, um reajuste que me deram. Estou muito contente mesmo. Nunca vou cobrar nada, pela gratidão que tenho. O Corinthians me colocou no mercado de vez", comentou Carille. 

Ele se comparou ao ano passado, quando foi interino. "Sou o mesmo, pode ter certeza, mas para vocês [jornalistas] não sou (risos). Técnico de verdade, vamos dizer assim, desde dezembro eu disse que não voltaria [a ser auxiliar]. Eu não volto nem pagando mais, nem que eles queiram risos. Me sinto mais confiante, acreditando mais no que acredito, de que com trabalho chega aonde quer. Participei de tudo na chegada do Oswaldo, mais confiante, feliz, mais solto nas coletivas, com jogadores na preleção e reunião, melhorando a cada dia", disse. 

Questionado sobre o melhor início de Brasileiro após seis rodadas, Carille deu de ombros. Novamente com bom humor. "Não analiso marcas (risos). Nem quero saber dessas coisas senão fico mais louco. Preparação com Cruzeiro, assim até o final, jogo a jogo, tantas coisas pra preocupar em jogo importante", declarou. 

A ascensão profissional, revelou Carille, também tem mudado sua rotina. "Não mudo é ideia. Fora o reconhecimento muito grande, de vez em quando vou no shopping, saio, mas pela grandeza do Corinthians...não vou mais no mercado e padaria. No shopping, de boné e óculos, entrando num lugar igual ladrão (risos).

O que mais declarou Fábio Carille:

O PORQUÊ DE BUSCAR REFORÇOS
Entre chegar e não perder jogadores, prefiro não perder. Mas a chegada está relacionada à saída de alguém. Vamos pegar um jogador, por exemplo. O Fagner. Se chegar um lateral, é porque pode ser que ele não fique. Prefiro ter três laterais aqui, eles trabalharem e brigarem do que ele sair, passar o processo outra vez de trazer outro jogador. Essa é a preocupação.

A IDEIA É NÃO PERDER NINGUÉM
O clube trabalha muito para ninguém sair agora. Para sair um ou dois no máximo. Não vai perder cinco ou seis. Estou muito feliz com o elenco, se continuar esse grupo vamos buscar coisas grandes. Se chegar é para fortalecer. Quem está aqui, entender o Corinthians, o processo, para não perder tempo ali na frente.

ATAQUE EM EVOLUÇÃO
Está crescendo. Eu já esperava isso. Não mudei a linha de trabalho. É tempo, é entrosamento, eles vão se conhecendo cada vez mais. O Jadson recebe o passe no pé e não em profundidade, o Rodriguinho também. O Romero pode ser em profundidade e o Marquinhos pode também. Na defesa são mais coberturas, é um trabalho de repetição atrás. Na frente é importante eles trabalharem juntos para evoluir.

PABLO
A situação de permanência continua a mesma. O Corinthians tem um prazo a cumprir, não passaram nada diferente. Acredito que nos próximos dias deva resolver. 

JOGADORES NA SELEÇÃO
Assisti aos dois jogos. O Rodriguinho quase fez gol, eu torci para que fizesse. Ele tem trabalhado bastante, passou muita coisa aqui quando chegou e trabalhou quietinho, assumindo uma responsabilidade que eu não imaginava ele fosse assumir. Deu continuidade esse ano.

PAULO ROBERTO NA LATERAL
Independente do que acontecer ali na frente, o que me deixa satisfeito é colocar o Paulo Roberto, por exemplo. Claro que ele teve erros, não é da posição, mas deu resposta. Em dois jogos ruins, com Vasco fora e o clássico, ele deu resposta. Manteve o nível da defesa. O entendimento do elenco e dos atletas me deixa muito satisfeito.

ESTILO DE MANO À BEIRA DO CAMPO
Tem essa questão de ter uma leitura muito rápida. Eu não ficava no banco, sempre na arquibancada. Com o tempo comecei a entender o que ele é. Muito rápido para enxergar o jogo. Eu deixo sofrer um pouco mais para ver até onde vai. Sou tranquilo e me preparado em relação à arbitragem porque sei que a vida de bandeira não é fácil. Eu procuro colaborar no jogo.

TREINADOR SEM MARKETING?
Não sei responder. Mas pode ter certeza de uma coisa. Daqui a 20 anos serei assim, não me preocupo com isso, de jeito nenhum. Não sei se vai me prejudicar. Me preocupo com resultados.

CARILLE NAS COLETIVAS
Tenho muito a melhorar ainda, na hora de colocar as palavras certas. Acertei com uma assessoria, a Futpress, e tem me ajudado bastante. Não faço uma preparação antes, estou crescendo nesse ambiente. Hoje já sei as perguntas que vão vir.

MARQUINHOS GABRIEL
Está recuperado e tem muito para melhorar ainda, está no processo para ganhar ritmo de jogo pela cirurgia e pelo primeiro semestre não muito bom. Todo técnico tem o dever de acreditar no jogador. Ele é um jogador que tem potencial, fez bons jogos ano passado. Pode esperar que o Giovanni Augusto também vai voltar.

TREINO PEGADO
Eu estimulo, sim, mas hoje passou um pouco da conta. Não pode ter carrinho. É uma coisa que vou falar com eles.

TIME DE 2017
Duas características que buscamos para esse ano: jogador cascudo e experiente e jogador com pegada para apertar a marcação. No ano passado os adversários tinham liberdade no meio-campo. E o Jô deu uma resposta inesperada por tudo que ouvi desse cara.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos