SP é procurado por Monaco e Nice, mas blinda promessa da seleção sub-20

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Renata Lutfi/saopaulofc.net

    Marquinhos Cipriano é uma das promessas de Cotia e despertou interesse do Monaco

    Marquinhos Cipriano é uma das promessas de Cotia e despertou interesse do Monaco

O São Paulo já vendeu três talentos formados em Cotia para clubes europeus nesta temporada: David Neres, Lyanco e Luiz Araújo. Agora, o Tricolor tenta ao menos segurar promessas em formação na base, ainda que novas vendas não sejam descartadas pela diretoria. Nesse movimento, a ideia é blindar o atacante Marquinhos Cipriano, de apenas 18 anos, e que foi recentemente procurado por equipes francesas: Monaco e Nice.

Contratado em 2015 por R$ 1 milhão em negócio com o Desportivo Brasil, o jogador é tratado como um dos principais nomes do CFA Laudo Natel, usualmente atuando em equipes formadas por atletas mais velhos. Foi o caso do Torneio de Toulon, na França, quando foi titular nas três partidas da seleção brasileira sub-20 - uma vitória, um empate e uma derrota. A competição, tradicional na base, foi disputada em sua maioria por garotos nascidos em 1997, dois anos antes de Cipriano. A Inglaterra sagrou-se campeã em cima da Costa do Marfim, enquanto os brasileiros não passaram da primeira fase.

O torneio atrai dezenas de olheiros para observar jovens talentos e pelo menos dois representantes de clubes franceses procuraram mais informações sobre Cipriano. O São Paulo prontamente solicitou que nenhuma conversa fosse iniciada com o Nice e explicou a negativa para o Monaco, único a fazer contato direto. Os tricolores querem investir no crescimento do atacante e temem que o excesso de expectativa possa atrapalhar esse desenvolvimento da promessa, que tem como objetivo chegar ao elenco profissional antes de se transferir para a Europa. 

Um dos últimos atos de Carlos Miguel Aidar como presidente, a compra rendeu 70% dos direitos econômicos de Cipriano - os 30% restantes seguiram com o Desportivo Brasil e a multa rescisória é estipulada em 30 milhões de euros (cerca de R$ 111 milhões). Neste ano, o São Paulo já perdeu outro atleta nascido em 1999. Augusto Galván, que não havia assinado contrato profissional devido a problemas de seus representantes com a diretoria, chegou a ficar um ano sem jogar, aceitou acordo com os tricolores e foi vendido ao Real Madrid em transação que pode chegar a 3 milhões de euros (R$ 11,7 milhões).

Já na equipe profissional, as negociações de David Neres, Lyanco e Luiz Araújo podem gerar até R$ 115 milhões de acordo com metas alcançadas em Ajax, Torino e Lille, respectivamente.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos