Diretor diz que "mais jogador chega do que sai" e fala em chacoalhada no SP

Bruno Grossi e José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • José Eduardo Martins/UOL

    Pinotti durante a apresentação de Maicosuel

    Pinotti durante a apresentação de Maicosuel

Com a janela de transferência para a Europa aberta, o São Paulo passou a ser alvo de especulação do mercado. O clube já negociou Luiz Araújo com o Lille, da França, e está perto de acertar a transferência de Maicon para o Galatasaray, da Turquia. Por outro lado, a diretoria de futebol trabalha para trazer reforços e diz que vai trazer mais atleta do que vender. E, para isso, negocia com os zagueiros Robert Arboleda, da Universidad Catolica de Quito, e Aderlan, do Valencia, com o volante Petros, do Bétis, e com o meia Jonathan Gómez, do Santa Fé.

"A janela de transferência nos pega no meio da temporada, não posso falar do passado, posso falar da minha gestão. Não vou comentar o que foi feito no passado, posso dizer de um mês para cá, o que quero. Não estamos satisfeitos com a performance com o que está acontecendo, é normal que com chegadas e saídas isso aconteça. São Paulo é vitrine é normal que clubes estejam de olho na gente. Queremos manter quem quer ficar no São Paulo. temos o planejamento estabelecido de reforçar o time, Garanto que chegarão mais jogadores do que sairão", afirmou o diretor de futebol do clube, Vinícius Pinotti.

"Da minha situação, não estamos satisfeitos. Queremos dar uma chacoalhada do elenco para retomar o caminho das vitórias. O campeonato é equilibrado, mas temos totais chances de fazer um bom campeonato",  completou Pinotti.

O dirigente falou também sobre a possibilidade de chegada reforços. "O Johnatan Goméz está muito próximo, assim como o Arboleda. O Petros tem uma negociação em andamento, não posso dar maiores detalhes. O Aderlan é o mesmo caso do Petros", disse o dirigente.

Por outro lado, o dirigente confirmou a possibilidade de perder o zagueiro Maicon e falou sobre a situação de Lucão, que manifestou o desejo de sair do clube após falhar na partida de domingo, contra o Atlético-MG.

"Chegou a proposta, falei com o jogador, que manifestou o desejo de voltar a Europa. Não tem nada fechado, a negociação está em andamento. É óbvio que em algumas situações não vamos ceder. Essa diretoria quer que o São Paulo termine o ano entre os cinco primeiros. O São Paulo trabalha em reforços há muito tempo porque sabia da janela. Já o Lucão manifestou o desejo publicamente de deixar a equipe. Ele já tem seis jogos pelo clube no Brasileiro, não vai jogar e, se chegar alguma proposta, não vamos dificultar. Só queremos aqui quem quer jogar no São Paulo", disse o diretor, que comentou também a possibilidade de saída e de chegada de outros atletas.

"Sobre o Wesley [interessar o Sport] não temos nada. Já em relação ao Centurión, o Boca Juniors tem o prazo até o dia 30 de se posicionar. não tenho nada concreto em relação a ele."

Outro assunto que gerou polêmica no São Paulo nos últimos dias foi a renovação do contrato de Lugano. O clube enviou uma proposta para o uruguaio apenas nesta segunda-feira - sendo que o jogador tem vínculo com o clube só até o dia 30 deste mês. Segundo apurou a reportagem do UOL Esporte, o campeão mundial de 2005 não ficou satisfeito com a postura do clube e avalia qual será a sua resposta.

"Estamos trabalhando há um bom tempo, não teve influência [da pressão da torcida]. Temos de trabalhar mais e falar menos. É assunto grandioso e estamos cuidando há bom tempo", disse Pinotti.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos