Fim do bicho-papão? Janela chinesa promete ser mais modesta que anteriores

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

A janela de transferências da China abriu na última segunda-feira (19) com um apetite bem menor do que nos últimos anos. O período de contratações será o primeiro com as novas regras da Associação Chinesa de Futebol (ACF), que visa diminuir as contratações milionárias e incentivar o investimento no futebol interno.

Uma das principais medidas é a criação de um teto de gastos para os 16 clubes do Campeonato Chinês. A partir da atual janela, será permitido que as equipes com dívidas gastem, no máximo, 45 milhões de yuanes (R$ 21,6 milhões) para contratar um jogador estrangeiro. Em relação à transação de jogadores chineses, o teto é ainda menor: 20 milhões de yuanes (R$ 9,6 milhões).

O novo valor limite para transferências internacionais é consideravelmente menor do que o Shanghai SIPG desembolsou para contratar o brasileiro Oscar no final do ano passado. Na ocasião, a equipe chinesa gastou 60 milhões de euros (R$ 212 milhões na cotação da época) para tirar o jogador da China.

Mas o teto de gastos não será a única medida implementada pela ACF para tentar frear as contratações milionárias. Em 25 de maio, a entidade já havia determinado um imposto de 100% sobre as contratações estrangeiras realizadas pelos times do Campeonato Chinês.

Além disso, as equipes com dívidas serão obrigadas a igualar os gastos em jogadores estrangeiros com um investimento em um fundo para a formação de jogadores locais. A medida faz com que as contratações internacionais custem o dobro do preço, já que todos os 16 clubes da primeira divisão apresentam prejuízos em seus balanços.

Contratações desenfreadas marcaram as últimas temporadas chinesas

Nos últimos anos, o futebol chinês se tornou um tormento para os clubes brasileiros. No início de 2016, o então campeão brasileiro Corinthians foi o principal alvo das equipes asiáticas, perdendo o zagueiro Gil e os meias Ralf, Jadson e Renato Augusto.

O interesse chinês, porém, não se limitava ao Brasil. Somente na última temporada, os clubes asiáticos quebraram por cinco vezes o recorde de transferência mais cara da Ásia. Entre as contratações se destaca os 55 milhões de euros (R$ 207 milhões) gastos pelo Shanghai SIPG para contratar Hulk, que estava no Zenit.

A janela de transferências da China se encerra em 14 de julho. Pela nova regra, cada clube poderá inscrever apenas três jogadores estrangeiros por partida.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos