Corinthians deixa Ronaldo sem exclusividade em acordo para trazer parceiros

Dassler Marques e Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Ronaldo assistiu à vitória do Corinthians sobre a Ponte em maio passado

    Ronaldo assistiu à vitória do Corinthians sobre a Ponte em maio passado

Novamente próximo do Corinthians, Ronaldo pediu nos últimos dias exclusividade como captador de parceiros do clube paulista. A diretoria corintiana, no entanto, vetou a condição ao ex-jogador, que gostaria de ser o único autorizado a captar empresas.

Em contrapartida, segundo o acordo costurado com o Corinthians, Ronaldo terá direito a uma comissão caso apresente empresas que, de fato, se tornem parceiras do clube alvinegro. A participação do Fenômeno vai girar em torno de 10%, assim como ocorre habitualmente no mercado.

Segundo Fernando Sales, diretor de marketing do Corinthians, a exclusividade foi vetada por causa do contrato com outras empresas de marketing esportivo. Se Ronaldo obtivesse tal posição, isso se restringiria à Octagon, comprada pelo ex-jogador no começo do ano após deixar a Nine.

"Nós nem poderíamos dar exclusividade a ninguém. Podemos e vamos ser parceiros oficiais, não conseguiria dar exclusividade. Existem várias empresas de marketing esportivo com relação de muito tempo no Corinthians", explicou Sales.

A reaproximação de Ronaldo e Corinthians teve um capítulo importante na primeira final do Campeonato Paulista. Na ocasião, o Fenômeno assistiu à partida nas tribunas do Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.

As conversas entre Octagon e Corinthians, no entanto, começaram dois meses antes. Dessa forma, Ronaldo não teve qualquer participação nos patrocínios apresentados pelo clube em 2017, como Minds Idiomas, Foxlux, Alcatel e Universidade Brasil.

"Tivemos de refazer algumas cláusulas do contrato em função de negócios que já estavam andando antes da chegada dele. Devemos fazer o anúncio nos próximos dias", disse Sales.

Antes de de associar à Octagon, Ronaldo já tinha atuado em algumas frentes para aproximar empresas do Corinthians. Em 2016, por exemplo, ele tentou intermediar um patrocínio da Qatar Airways, mas não obteve sucesso.

Corinthians está sem master há dois meses

De acordo com o diretor corintiano, o clube de Parque São Jorge está negociando em algumas frentes pelo patrocínio master. Há duas semanas, o Corinthians estava próximo de um acerto com uma empresa. Hoje, essa conversa é tratada apenas como uma possibilidade.

O Corinthians já está há mais de dois meses em busca de um patrocinador master. Depois do fim do contrato com a Caixa Econômica, o clube admite fechar um contrato mais curto, até o fim de dezembro, para vender o principal espaço do uniforme.

Nos últimos contratos, a Caixa pagou R$ 2,5 milhões mensais ao Corinthians (ou R$ 30 milhões por cada ano de vínculo). O clube espera se manter em um patamar parecido e já descartou um acerto com a empresa de R$ 18 milhões por oito meses de vínculo (R$ 2,25 milhões por mês).
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos