México sofre para vencer N. Zelândia; Juiz pede ajuda do vídeo em confusão

Do UOL, em São Paulo

Famoso nos tempos de São Paulo, o rodizio promovido por Juan Carlos Osorio se manteve na Copa das Confederações. Nesta quarta-feira (21), o treinador mandou a campo um México com oito jogadores diferentes da primeira partida. As mudanças, inclusive no esquema tático, agora com três zagueiros, se mostraram infrutíferas no primeiro tempo, e obrigando o treinador a mexer no time para conseguir a vitória de virada por 2 a 1.

O resultado coloca o México na liderança do Grupo A, com quatro pontos, mesmo número de Portugal, que fica atrás pelo número de gols marcados. A Nova Zelândia permanece na última colocação com zero pontos e está eliminada da Copa das Confederações.

Na próxima rodada, no sábado (24), o México precisa de apenas um empate com a Rússia para se classificar para a semifinal sem depender do resultado de Portugal x Nova Zelândia. Ambos os jogos acontecerão às 12h (de Brasília).

O jogo

No primeiro tempo, o México se surpreendeu com uma Nova Zelândia mais ofensiva da que enfrentou a Rússia na estreia. Apesar de dominar a posse de bola, o time de Osorio não conseguia produzir. Pelo contrário, aos 41 minutos, viu a zebra abrir o placar.

Depois de uma falha da defesa mexicana, Lewis deixou Wood na cara do gol. O atacante só teve o trabalho de bater para superar o goleiro Talavera, que substituíra o titular Ochoa.

Para o segundo tempo, Osorio decidiu mudar o esquema. Os três zagueiros do primeiro tempo foram preteridos. O meia Héctor Herrera entrou no lugar do zagueiro Alanís e fez com que o México voltasse ao esquema com quatro defensores, quatro meias e dois atacantes.

Com a mudança, o México passou a incomodar mais a Nova Zelândia. E o gol de empate veio logo aos 9 minutos do segundo tempo. O lance começou com Aquino dando uma caneta em Ingham. O meia tocou para Fabián, que passou para Raúl Jiménez. O atacante girou na entrada da área e soltou uma bomba para balançar as redes.

Depois do gol, Osorio gastou sua última substituição. Colocou em campo o veterano zagueiro Rafa Márquez no lugar de Héctor Moreno, que havia entrado no primeiro tempo. Com a alteração, deixou fora do jogo os badalados atacantes Chicharito Hernandéz e Carlos Vela.

Na parte final da partida, o México seguiu pressionando. E conseguiu a virada aos 27 minutos. Aquino fez boa jogada pela esquerda, entrou na área e rolou para Oribe Peralta balançar as redes da Nova Zelândia.

Tempo fecha no final do jogo

AP Photo/Thanassis Stavrakis

O clima esquentou nos acréscimos da partida. Depois sofrer uma falta de Reyes, o zagueiro Boxall deu uma entrada em Herrera. Na sequência, uma série de empurra-empurra teve início, com jogadores chegando até a trocar socos.

Aparentando estar claramente perdido, o árbitro Bakary Gassama pediu ajuda do vídeo para entender o que aconteceu na confusão. Após rever o lance, o homem do apito decidiu amarelar somente Reys, do México. Mais tarde, um novo aviso no rádio resultou em cartão amarelo para Boxall.

Fair play quase acaba em briga de treinadores

Dean Mouhtaropoulos/Getty Images

Com o placar ainda em 0 a 0, os técnicos Juan Carlos Osorio e Anthony Hudson chegaram a discutir feio. O motivo aconteceu aos 26 minutos do segundo tempo. Salcedo caiu na área mexicana e o time da Nova Zelândia não colocou a bola para fora.

A acusação de falta de fair play fez com que Osorio reclamasse com Hudson e precisasse ser segurado pelos mexicanos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos