Copa e 27 anos: Estafe vê novo contrato decisivo na carreira de Lucas Lima

Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

  • Leonardo Muñoz/EFE

    Lucas Lima, do Santos, encara a marcação do Santa Fe na Libertadores

    Lucas Lima, do Santos, encara a marcação do Santa Fe na Libertadores

Lucas Lima colocou a si próprio no Barcelona em uma partida de pôquer na última quarta-feira, ao lado do amigo Neymar. O estafe do jogador, entretanto, nega qualquer tipo de acerto ou mesmo oferta oficial do clube catalão, e prega calma na definição do futuro do meia. Para quem cuida do meia, o fato dele estar com 27 anos e a um ano da Copa de 2018 faz do próximo contrato o mais importante da sua carreira. Por isso, a escolha passa por uma combinação ideal de fatores financeiros e esportivos.

O agente do meia atualmente é Wagner Ribeiro, e a empresa NN Consultoria, do pai de Neymar, é responsável por sua gestão de carreira. Lucas tem compromisso com o Santos até dezembro de 2017, e a partir do próximo dia 1º de julho fica livre para assinar pré-contrato com qualquer clube e se transferir sem custos no fim do ano. Na avaliação do estafe do jogador, parte do mercado europeu ainda não tem ciência disso.

O clube que quiser contratar Lucas Lima terá de oferecer um contrato longo, de pelo menos quatro anos de duração, e capaz de garantir a indepedência financeira, com o maior salário de sua carreira. Além disso, é necessária uma boa vitrine para Tite nos seis meses de reta final para o Mundial da Rússia, em uma liga de expressão no futebol mundial, preferencialmente europeia. Já foram rejeitadas duas ofertas chinesas, e nem o meia nem seu estafe veem com bons olhos países com menos tradição no esporte.

Se por um lado nega qualquer tipo de acerto com o Barcelona, o estafe de Lucas não descarta a Catalunha como destino. O discurso é de que há sondagens de outros times da própria Espanha, da Itália, e da França, e as conversas começarão a ser filtradas para serem apresentadas ao jogador a partir da próxima semana.

"Um clube italiano me procurou perguntando se ele estará livre em janeiro. Queria ele agora, nesta janela, mas como só estará livre em janeiro eu disse não. Agora tem 80% da Doyen, 10% do antigo empresário e 10% do Santos", disse Wagner Ribeiro, em evento na noite desta quinta.

A permanência no Brasil, pelo menos no discurso, não está descartada, mas é improvável. Por um lado, todos os envolvidos na carreira do meia consideram a proposta do Santos excelente para os padrões do futebol brasileiro, mas inferior ao que pode ser alcançado no exterior. A demora do Alvinegro em apresentar a oferta e só fazê-lo a dois meses de Lucas ficar livre para negociar também incomodou. Por fim, existe o temor de que clubes brasileiros, na ânsia de contar com o jogador, ofereçam termos que tenham dificuldades para honrar no futuro.

Lucas Lima acumula 17 gols em 163 partidas disputadas com a camisa do Santos. Nesse período, deu também 40 assistências.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos