Vice do Barça reclama de diferença no tratamento de fraudes de Messi e CR7

Do UOL, em São Paulo

  • Jon Super / AP

    Cristiano Ronaldo e Messi tem casos de fraude tratados de forma diferente para vice do Barça

    Cristiano Ronaldo e Messi tem casos de fraude tratados de forma diferente para vice do Barça

O vice-presidente do Barcelona Carles Vilarrubí criticou a diferença com que tratam os casos de fraude fiscal de Messi e Cristiano Ronaldo. Para o dirigente da equipe azul-grená, o jogador do Real Madrid nem precisou comparecer em um tribunal ainda, ao contrário do atacante argentino.

"Toda a movimentação pelo o que vai acontecer nos próximos dias vai em direção muito específica. Cristiano Ronaldo pode ter que sentar no banco de réus e eles não querem a fotografia materializada dessa situação. Mas com Messi aconteceu", falou Vilarrúbi à "RAC1".

O vice do Barcelona também destacou sobre o julgamento externo em relação aos dois casos. Para ele, Cristiano Ronaldo foi tratado com mais cuidado, não foi declarado culpado logo de cara. Enquanto com Messi, ele não teve a chances.

"A presunção da inocência de Cristiano Ronaldo não se deu igual para Messi. O argentino foi descrito como mafioso e chefe de uma quadrilha de crime organizado", falou.

Messi e seu pai, Jorge Horacio, foram acusados de uma evasão de 4.16 milhões de euros ao fisco espanhol entre 2007 e 2009, com a utilização de uma série de empresas no Reino Unido, Suíça, Belize e Uruguai para receber os direitos de imagem, evitando assim o pagamento de impostos.

Cristiano Ronaldo foi acusado de quatro crimes, que teriam sido cometidos por quatro anos. Os valores ocultados por ano seriam de 1,39 milhões de euros em 2011, 1,66 milhões em 2012, 3,20 milhões em 2013 e de 8,50 milhões em 2014, totalizando 14,7 milhões de euros (R$ 54,3 milhões).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos