Dupla Ba-Vi começa semana do dérbi na degola e sofrendo com novos técnicos

Do UOL, em Recife

  • Reprodução/Facebook/Bahia

    Apenas dois pontos separam o Bahia, 17º, do Vitória, 18º no Brasileirão

    Apenas dois pontos separam o Bahia, 17º, do Vitória, 18º no Brasileirão

Na zona de rebaixamento do Brasileirão, Bahia e Vitória farão clássico cercado de expectativa e tensão do próximo (2), às 11h , no Barradão. Além da situação complicada na tabela, a dupla Ba-Vi vive outro denominador comum: ainda não engrenou sob novo comando.

Bahia e Vitória trocaram de técnico com apenas dois dias de diferença. Enquanto Jorginho assumiu no dia 1º deste mês, Alexandre Gallo foi anunciado no dia 3 . Com menos de um mês de trabalho nos respectivos clubes, nenhum dos dois conseguiu ainda engatar bons resultados.

Jorginho recebeu o time "pronto" de Guto Ferreira e teve início promissor, com duas vitórias seguidas em casa contra Atlético-GO e Cruzeiro, mas está a cinco jogos sem vencer. São quatro derrotas e um empate, nos quais o Bahia balançou as redes em apenas uma oportunidade.

Por sua vez, Gallo chegou no Vitória em meio à crise técnica e política, com maus resultados em campo e renúncia do então diretor de futebol, Sinval Vieira. Tem três derrotas, duas vitórias e um empate, mas chega no clássico vindo de dois reveses, um deles em casa contra o Santos e o outro em goleada para o Atlético-PR – que rendeu protesto da torcida nesta segunda (26).

Outro fator em comum entre Jorginho e Gallo – mas que o desabonam - é que nenhum do dois teve até então uma semana inteira de trabalho sem jogo para treinar as respectivas equipes. Até esta semana, foram poucas as atividades para correção de fundamentos e posicionamento, por exemplo, ou ainda para detalhamento de filosofia e estratégia de jogo. Os ajustes têm acontecido no bate-papo.

Tantos Jorginho com Gallo comemoraram a oportunidade após as derrotas para Flamengo e Furacão, respectivamente.

"Precisamos ter calma e trabalhar essa semana. É a primeira vez que vou ter uma semana para trabalhar com a equipe. Depois tem um clássico local importante, que a gente precisa sair da zona de rebaixamento", disse o treinador do Bahia,

Além de exalter a chance de corrigir os erros da equips, o técnico do Vitória ainda reclamou da discrepância do calendário.

"Tentar recuperação o mais rápido possível. Agora, contra o Bahia, pela primeira vez teremos uma semana para trabalhar. Temos algumas questões para resolver dentro de nosso grupo, questão de trabalho, vai ser importante. O Vitória, em cinco meses de trabalho, tem 41 partidas disputadas. Temos mais cinco meses, com 28 partidas. A diferença é muito grande. Temos um decrescente no aspecto físico por fazer sete jogos em 23 dias", afirmou Gallo.

Apenas dois pontos separam o Bahia, 17º, do Vitória, 18º. O Ba-Vi deste domingo será o quinto do ano, com a balança equilibrada. Enquanto Leão levou a melhor na final do Campeonato Baiano, o Tricolor venceu na semifinal do Nordestão, do qual acabou campeão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos