Quem é a torcedora que 'trollou' o marido no casamento em dia de Ba-Vi

Roberto Oliveira

Colaboração para o UOL, em Salvador

A rivalidade e o bom humor enraizados no futebol baiano, que virão à tona no clássico Ba-Vi deste domingo, às 11h no Barradão, pelo Brasileirão, subiram ao altar. Imagine uma noiva que, fã do Bahia, prega uma peça no noivo, torcedor do Vitória, em plena leitura dos votos matrimoniais durante o casamento. Aconteceu em Salvador, em história publicada pelo site "Aratu Online".

Ela é Bruna Leal, 26 anos, que não perdoou a eliminação do Vitória pelo seu Bahia na semifinal da Copa do Nordeste no mesmo dia do casório com Tiago Gonçalves, em 30 de abril passado. "Na verdade, não foi pensado antecipadamente", conta ao UOL Esporte.

"Eu estava me preparando para o casamento e no dia tinha um Ba-Vi. Antes de chegar na Igreja perguntei quanto estava o jogo, e estava 1 a 0. Aí quando cheguei na Igreja meu pai falou: 'o Bahia ganhou de 2 a 0 e eliminou o Vitória'. Aí pensei para incluir nos meus votos, para ficar emocionante, porque estava sério demais. Acabou ficando engraçadinho", narra.

Mas Bruna não contou nem para o pai, torcedor fanático do Bahia e jornalista de A Tarde, guardando a surpresa para o altar. "Na hora do vídeo, que vou falar do Ba-Vi, dá pra ver que não olho pro papel, porque não estava no texto."

Bruna inovou.

"Hoje a noite está linda. Céu enluarado, sem muitas nuvens. Mas mesmo que estivesse chovendo pedra, continuaria sendo a noite mais linda de todos os tempos porque você está aqui dividindo o altar comigo. E esse céu azul enluarado, combinando com meu vestido branco e minha mãe que está de vermelho me lembram que o Bahia eliminou o Vitória", disse, vestida de noiva, antes de pausar em segundos de silêncio.

Atentos à cerimônia, os convidados não se contiveram após a "trollada" e caíram na risada. "Todo mundo curtiu, achou engraçado, foi recebido", lembra Bruna, funcionária pública.

Quem também não se incomodou foi o noivo Tiago, 28, embora admita que tenha ficado sem jeito. Ele diz como foi receber a gozação da esposa no momento de consagração do matrimônio, realizado na Igreja Adventista do 7º Dia.

"Não me chateei não, eu fiquei sem jeito porque não esperava, nem passava isso na minha cabeça. Mas eu tive que prender o riso depois que ela falou do Vitória, eu não tinha de dar risada, fiquei sério mesmo", conta Tiago, que é da região metropolitana de Salvador e estava em São Paulo, mas voltou à capital baiana quando decidiu se casar com Bruna.  

"Quando a gente decidiu casar, ela me pediu que a gente fizesse uma mensagem. Quando ela começou a ler achei bonito o jeito que pensou as frases, o sentimento, mas do meio para o fim percebi que o rumo da mensagem tava indo para algo estranho. Quando vi era uma 'trollagem', ela aproveitou que o Vitória perdeu para caçoar da minha cara", diz, ele, aos risos.

Divulgação/ArquivoPessoal
Bruna Leal e Tiago Gonçalves, alvo da gozação após derrota do Vitória ante o Bahia

Tiago está acostumado às gozações em casa. Membro de família grande, apenas ele e sua mãe torcem para o Vitória, enquanto o pai é um fervoroso torcedor do Bahia, que aprovou a atitude da nora.

"Meu pai gostou, deu parabéns, disse que ela era uma mulher corajosa, mulher de peito, de garra. E ela ficou me gastando [tirando sarro] no avião indo para a lua de mel em Gramado", relembra Tiago.

Revanche no primeiro Ba-Vi de casados

Neste domingo, Vitória e Bahia duelam em jogo cercado de expectativa e tensão por ambos estarem na zona de rebaixamento do Brasileirão. Vai ser o primeiro Ba-Vi de Bruna e Tiago como casados. Embora admita não ser fanático, ele também não abre mão da gozação quando se ganha um clássico.

"Quando tem um Ba-Vi é uma chance de tirar sarro um com o outro. É nosso primeiro casados, como o jogo é no Barradão, eu acho que vai ser 2 a 1 pro Vitória, com dois gols de Kieza. Vai ter de desencantar, nada melhor do que fazer gol contra o ex-clube, é a lei de ex", aposta Tiago, pensando na revanche.

"Ele é tranquilo, não é fanático, eu sou mais", afirma Bruna, antes de provocar. "Porque nenhum torcedor do Vitória torce como do Bahia, mesmo que seja um meia-boca. Se você for ver, o torcedor do Bahia tem mais paixão. Mesmo que o time esteja brigando para não cair, não importa, a gente não abandona. Quem torce pro Vitória não tem a mesma paixão", completa dando risada.

Bruna também espera um triunfo do seu time no clássico, mas dessa vez irá terceirizar a gozação caso vença o Bahia. Ela, aliás, conta com uma aliada.

"Eu tento não falar muito sobre Ba-Vi pra gente não brigar, pro clima não ficar tenso. Então geralmente quando quero gozar eu mando pra minha mãe e ela manda pra ele, porque minha mãe goza muito ele."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos